Review: twenty one pilots – Morph

Lançamento: 05/10/2018
Gênero: R&B, Pop
Produtores: Tyler Joseph e Paul Meany
Compositores: Tyler Joseph e Paul Meany.

Para o público menos atento, parece que o twenty one pilots surgiu depois do grande sucesso do álbum “Blurryface” (2015). Mas nem tudo é como parece, porque o duo de Ohio já possui quase 10 anos de carreira. Eles iniciaram sua jornada como artista independente lançando dois discos por conta própria em 2009 e 2011. Depois de assinar com a Fueled by Ramen em 2012, o duo estreou na gravadora com “Vessel” (2013). No entanto, foi com o multi-platinado “Blurryface” (2015) que eles se tornaram conhecidos no mundo todo. Composto por Tyler Joseph e Josh Dun, twenty one pilots é uma espécie de enigma do pop. Parte do charme da dupla vem do fato deles não se encaixaram com um único gênero. Desde que iniciaram sua carreira, ambos já passaram pelo pop, rock, eletrônica, hip hop e reggae. No entanto, é por causa deste mesmo motivo que a maioria das críticas caem sobre eles. Muitos ainda não conseguem aceitar um ato tão esquizofrênico quanto o twenty one pilots. Mas seja como for, esses caras são talentosos, e depois de algum tempo fora dos holofotes, eles retornaram na sexta-feira, 05 de outubro de 2018 com seu novo álbum de estúdio, intitulado “Trench” (2018). Depois do lançamento da pesada “Jumpsuit” e do reggae de “Nico and the Niners” em julho, o duo divulgou outras duas músicas em agosto, o hip hop de “Levitate” e o synth-pop de “My Blood”. Dito isto, a faixa que mais se destaca no álbum é “Morph”, terceira faixa do repertório. Uma canção de R&B radio-friendly impulsionada pela elegante produção de Paul Meany.

Instantaneamente cativante, esta faixa possui um refrão agradável e os mesmos versos de hip hop pelos quais a dupla encantou o público anos atrás. “Morph” é a primeira canção que menciona o Nico, personagem do “Trench” (2018), e onde o conceito do registro começa a se desenvolver. Sonicamente – enquanto sua marca registrada permanece – twenty one pilots expande seu alcance com alguns novos truques e mostra mais do falsete de Tyler Joseph. Sendo uma das músicas mais rápidas do álbum, “Morph” aborda tópicos relacionados a ideia de se transformar metaforicamente em outra pessoa, bem como a morte e o que quer que aconteça depois. Seu pesado significado é refletido através da poderosa bateria e uma linha de baixo que se apresenta principalmente durante os versos. O piano também é um dos seus pontos fortes, uma vez que contribui com um fator relaxante que contradiz o início da música. O refrão, por sua vez, é o momento que exibe os melhores vocais do Joseph. Com tudo isso em mente, o twenty one pilots mostra sua consistência e faz outra mistura de sons a cada nova música. “Morph” tem um motor baseado no hip hop, mas são suas influências de R&B que alimentam a maior parte da composição. E assim como “Levitate”, esta faixa apresenta versos muito inteligentes que se diferenciam da previsibilidade de outras faixas. “Se eu continuar andando / Eles não irão notar / Eu vou me transformar em outra pessoa / Meu mecanismo de defesa”, Joseph canta no refrão. Felizmente, suas palavras faladas envelheceram bem e os falsetes só podem ser descritos como brilhantemente agradáveis. Quando “Morph” chega ao fim, você fica com a sensação de que realmente ouviu a melhor faixa do álbum.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.