Review: Robyn – Missing U

Robyn é uma das artistas mais inovadoras e influentes da década, graças ao comprometimento com sua vulnerabilidade e impacto na música dance. Em 23 anos de carreira, ela acumulou cinco indicações ao Grammy e quatro singles no topo do Reino Unido. Além disso, possui algumas das melhores músicas da década de 2010, que inclui “Dancing On My Own” e “Call Your Girlfriend”. Depois de oito anos, ela finalmente decidiu lançar uma nova música chamada “Missing U”. Nesse meio tempo, Robyn fez algumas colaborações, incluindo um EP completo com o duo Royksöpp. Seu novo single é realmente um grande retorno – ela o escreveu e produziu com seu frequente colaborador, Klas Åhlund, e Joseph Mount (Metronomy). Não abre novos caminhos para ela, mas reforça seu imenso poder artístico. Depois de tanto tempo, era esperado que ela mudasse de som, mas “Missing U” parece encaixar-se perfeitamente à estética do aclamado “Body Talk” (2010).

Os vocais estão doces e emotivos como sempre, enquanto os sintetizadores e as batidas dão suporte do começo ao fim. Depois de começar com uma enxurrada de brilhantes sintetizadores, a faixa soa vagamente familiar. A melodia vocal nos remete facilmente à “Indestructible”, o primeiro single do “Body Talk” (2010). Tudo soa como a velha Robyn que conhecemos. Entretanto, “Missing U” é intensamente delicada para ser caracterizada como Robyn no piloto automático. Preste atenção, por exemplo, nos sons das cordas antes do segundo verso – são úmidas e trêmulas. Repare também no bumbo central em diferentes pontos ao longo da música. Mais uma vez, Robyn canta sobre perder um ex-namorado em cima de uma batida incrivelmente dançante. Ainda assim, é uma canção liricamente triste, onde ela exibe uma visão mais conceitual sobre perda. “Todos os planos que fizemos que nunca aconteceram / Agora seu perfume no meu travesseiro desapareceu”, ela canta no primeiro verso. A estranha mistura causada pele otimismo da instrumentação com a tristeza das letras, faz de “Missing U” uma música maravilhosa. “Eu transformei toda minha tristeza em vidro / Mas não deixei nenhuma sombra”, ela canta no segundo verso antes do colapso melancólico. “Todo o amor que você deu, ainda me define”.

Quando o refrão chega tudo se torna ainda mais brilhante. A bateria, a linha de baixo pulsante e o arpejo de sintetizador nos leva para um lugar diferente. “Existe esse espaço vazio que você deixou para trás / Agora você não está aqui comigo / Eu continuo cavando através da nossa perda de tempo / Mas a foto está incompleta / Porque eu estou sentindo sua falta”, ela canta enquanto a tristeza se torna palpável. Nas mãos da Robyn, a solidão se torna algo que todos nós podemos entender e nos conectar. Em suma, “Missing U” é outra balada pop e disco sintetizada com som inspirado pelos anos 80.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.