Review: Poo Bear – Poo Bear Presents: Bearthday Music (2018)

Lançamento: 27/04/2018
Gênero: R&B, Pop
Gravadora: Capitol Records / Universal Music Group
Produtores: Poo Bear, A.C, Ben Billions, Billboard, Boi-1da, Dan Kanter, Ebonikz, Gemini Muziq, Ilmind, Juanes, Kid Culture, Nineteen85, Roget Chahayed, Sasha Sirota, Sinh, Skrillex, Sky, Soundz, The Audibles e Virtual Riot.

“Poo Bear Presents: Bearthday Music” é uma coleção estranha que você não vai querer repetir. A transição do R&B para a música latina, o pop, house, hip hop e o trap sugere que o Poo Bear não tem certeza da direção que ele realmente deseja seguir.

Jason “Poo Bear” Boyd passou as últimas décadas produzindo hits para cantores de R&B e pop como 112, Whitney Houston e Mariah Carey, e para astros do hip hop como Snoop Dogg, Lil Wayne e Dr. Dre. Recentemente, ele expandiu sua paleta sonora, ao escrever para os gostos de Justin Bieber, Jennifer Lopez, Juanes, Zara Larsson, Ty Dolla $ign e J Balvin. Para quem não sabe, Poo Bear está por trás de vários sucessos do Bieber, incluindo “Where Are Ü Now”, “What Do You Mean?”, o remix de “Despacito” e “I’m the One”. Com seu apelo internacional em alta, Boyd finalmente combinou seus esforços para lançar o seu primeiro álbum de estúdio. “Poo Bear Presents: Bearthday Music” é uma compilação bilíngue que apresenta uma enorme quantidade de cantores pop, como Justin Bieber, Jennifer Lopez, Juanes, J Balvin, Anitta e Skrillex. O título é mais profundo do que a habitual saudação de Poo Bear para todos aqueles que ele conhece. Se nada parece novo, é porque Poo Bear já escreveu outras músicas que soam parecidas. Falando à Rolling Stone sobre o gênero do álbum, ele afirmou que “eu queria que fosse concluído, não apenas um gênero. Eu queria uma fusão de pop latino, R&B, hip hop e até mesmo um toque de country”.

E quando perguntado pelo Idolator sobre por que decidiu lançar o projeto agora, Poo Bear disse: “Eu sinto que agora é a hora certa. Eu sinto que meu nome é um pouco mais familiar do que era antes (…) Eu sei que muitas pessoas ainda não sabem quem eu sou, mas eu sinto que estou em um lugar melhor agora para lançar música (…) Eu planejo fazer isso todos os anos como um aniversário”. Neste álbum, Boyd permite que os convidados e produtores roubem seu holofote, criando uma compilação pop que abrange uma infinidade de gêneros. Um fato histórico: Poo Bear escreveu dois dos maiores congestionamentos de R&B do início dos anos 2000, “Caught Up” do Usher e “Peaches & Cream” do grupo 112. Mesmo em um nível pessoal, é difícil não torcer para ele. Depois que sua casa em Connecticut foi destruída por um tornado, Body e sua família se mudaram para Atlanta. Agradeça a Justin Bieber – por mais estranho que a perspectiva possa parecer – pelo retorno do Poo Bear. Os dois começaram a escrever juntos no início desta década e, embora não tenham iniciado nenhuma nova tendência, colaboraram para tornar o tropical-house mais popular. Desde então, Poo Bear se manteve ocupado, apesar de manter seu perfil relativamente baixo.

No “Bearthday Music”, um álbum com um claro trocadilho, Poo Bear não canta na maior parte e nem mesmo lida com a produção sozinho. Nomes conhecidos como Soundz, The Audibles, Ben Billions, Billboard, Skrillex, Boi-1da, Illmind e Nineteen85 o auxiliam em vários momentos. E o problema de pendurar-se em um monte de outros vocalistas e produtores é que sua arte se torna obsoleta e desconexa. Dito isto, não há como negar que o “Bearthday Music” é um álbum bagunçado e entediante. Alguns cantores tentam dar o seu melhor para injetar alguma vida no álbum, mas o resultado final é tão confuso e mediano quanto a escolhe do nome. Embora tenha assumido o centro do palco, depois de passar tanto tempo nos bastidores, Poo Bear não conseguiu surpreender. O registro salta de gênero para gênero no decorrer de quinze faixas que equivalem a uma coleção completamente desarticulada. Há um atmosfera latina em “All We Can Do”, um trap minimalista em “Moves” e uma batida house em “Shade”. A principal faixa do álbum, “Hard 2 Face Reality”, com Justin Bieber e Jay Electronica, é simplista e cativante. Aqui, Poo Bear tem a oportunidade de mostrar seus vocais, enquanto Bieber oferece um refrão tipicamente suave.

“Às vezes é difícil encarar a realidade / Oh oh mesmo que você possa ficar bravo comigo / Oh oh às vezes é difícil encarar a realidade”, ele canta. Um número R&B e eletrônico que, infelizmente, não consegue passar uma impressão duradoura. A colaboração com Jennifer Lopez em “Put Your Lovin Where Your Mouth Is” é um esforço profundamente insípido que se arrasta através de uma batida levemente latina e uma melodia carente de dinâmica. “Perdido”, com J Balvin, combina uma batida animada e tropical com uma linha de baixo pulsante e um drop pronto para os clubes. O primeiro single do álbum, “Will I See You”, apresenta uma boa performance vocal da Anitta, que tenta salvar a produção relativamente desbotada. Conduzida pelo violão, é uma canção pop inspirada pela bossa nova com algumas letras românticas: “Quando estiver tudo terminado, eu vou te ver de novo? / Agora que meu amor está ligado / Completamente em você, eu não vou desligá-lo / Você faria o mesmo por mim? / Quando estiver tudo terminado, eu vou te ver de novo?”. Outro ponto positivo é “Either”, que apresenta uma performance empolgante da Zara Larsson. A sueca de 20 anos exibe boas nuances vocais ao lado de uma mistura de sintetizadores e teclados.

Enquanto isso, Ty Dolla $ign emprestou seus talentos para “That Shit Go”. Porém, a impressão é que isso poderia ter sido retirado de alguns descartes do rapper. Sob uma batida e melodia de R&B, a faixa não acelera e o pesado auto-tune na voz do Poo Bear é uma experiência bastante desagradável. “Vegas”, com o praticamente desconhecido LAZR, é um pouco melhor. É essencialmente uma faixa padrão de R&B e trap, mas com uma produção eficaz que se adaptou bem aos vocais pré-estabelecidos. Curiosamente, a única faixa que não possui algum convidado é “Early or Late”. Coincidentemente, é uma canção que exala o caloroso R&B de seus sucessos mais antigos. O restante do álbum contém características de artistas teoricamente desconhecidos, como “From Here” (com Nikki Vianna), “On My Kids” (com RaRa) e “Blessing and a Curse” (com Ashley Joi). “Poo Bear Presents: Bearthday Music” é uma experiência auditiva estranha que na maioria das vezes você não vai querer repetir. A transição do R&B para a música latina, o pop, house, hip hop e o trap é bizarra e sugere que o artista não tem certeza da direção que ele realmente deseja seguir. E embora certas faixas sejam agradáveis, isso não tem a ver com a qualidade da produção do Poo Bear.

  • 46%
    SCORE - 46%
46%

Favorite Tracks:

“Hard 2 Face Reality (feat. Justin Bieber & Jay Electronica)” / “All We Can Do (feat. Juanes)” / “Either (feat. Zara Larsson)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.