Review: Luan Santana – 2050

Lançamento: 27/03/2018
Gênero: Pop
Produtores: Bruno Caliman e Rafael Torres
Escritores: Bruno Caliman e Rafael Torres.

Luan Santana é um grande nome do sertanejo, afinal desde que estourou com “Meteoro”, ele vem lançando um hit atrás do outro. É incontável o número de canções de sucesso que ele tem desde que surgiu aos olhos do público em 2009. Na principal parada da Billboard Brasil, por exemplo, ele já colocou dezenove faixas no primeiro lugar. “Adrenalina”, “Amar Não é Pecado”, “As Lembranças Vão na Mala”, “Nêga”, “Sogrão Caprichou”, “Cê Topa”, “Escreve Aí”, “Chuva de Arroz”, “Eu, Você, o Mar e Ela” e “Acordando o Prédio”, apenas para citar algumas. Atualmente com 27 anos, Luan Santana realmente conseguiu construir uma carreira sólida em território nacional. Não é a toa que qualquer single que ele lança, surge como um potencial novo hit. O seu single mais recente, chamado “2050”, foi divulgado em 27 de março de 2018 juntamente com o lyric video. Que o Luan Santana é um cantor de sertanejo não há dúvidas, porém, no decorrer dos anos ele foi ficando cada vez mais pop.

Dito isto, “2050” já pode ser considerada sua canção mais pop ao lado de “Chuva de Arroz”. Uma balada despojada que começa com o sopro de uma flauta, teclado e alguns acordes de violão, antes do cantor entregar letras como: “Em 2050 / Eu vou ter algumas rugas no meu rosto / E uma foto sua no meu bolso”. Luan Santana se concentra na perspectiva de um possível futuro, conforme descreve situações que poderão ocorrer. No refrão, ele fala sobre uma mulher que vai permanecer ao seu lado, mesmo num futuro tão distante. “Olha aqui a minha véia / Torce pra você achar uma dessas / Na vida, isso é tudo o que interessa / Desculpa te alugar com essa conversa / Pra todo passageiro, eu falo dela”, ele canta. “2050” é uma balada demasiadamente polida, modesta e com melodias encantadoras. Enquanto as batidas de tambor só aparecem no segundo verso, o último refrão é apoiado por vocais de apoio. Pode não ser inovadora por qualquer meio, mas é uma oferta mais interessante do que seus últimos singles.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.