Review: Lil Uzi Vert – Free Uzi

No início de 2019, Lil Uzi Vert disse ao público que estava se aposentando. O rapper parecia frustrado com a situação entre ele e o selo Generation Now do DJ Drama & Don Cannon, e da dificuldade que precisava passar para lançar novas músicas. Essa frustração não era novidade para ele, que preferia lançar música quando queria, em vez de aderir ao cronograma desatualizado e muitas vezes lento que a indústria normalmente adota. Portanto, em um mundo justo, nós já teríamos uma versão do segundo álbum do Uzi Vert. Mas recentemente, noticiou-se que ele se afiliou ao selo Roc Nation do Jay-Z. Os detalhes da afiliação ainda são desconhecidos, mas ontem ele lançou oficialmente sua primeira música exclusiva pelo TIDAL – o serviço de streaming do Jay-Z. É estranho que uma das maiores estrelas do rap atual tenha lançado uma quantidade tão pequena de música desde que surgiu. Uzi, assim como Young Thug ou Gucci Mane, pode ser extraordinariamente prolífico, muitas vezes escrevendo e gravando músicas mais rápido do que o esperado. No cenário moderno do rap, a evolução artística acontece à vista de todos. O processo é exposto à luz do dia.

A quantidade é combinada com qualidade. Isso nos leva a “Free Uzi”, uma música que a Atlantic Records diz tratar-se de um vazamento não autorizado. O título é auto-explicativo, uma música sem fôlego que serve como lembrete de que Uzi está finalmente livre. Mesmo sem os rumores de sua aposentadoria – alguém realmente acreditou que ele iria se aposentar? – “Free Uzi” é uma música incrivelmente atraente. Ela não tem o inegável apelo de “XO Tour Lif3”, mas isso não importa. Sua influência é grande o suficiente para que essa música assuma uma espécie de status cult. A história por trás significa mais do que a própria música. É um freestyle com sample do clássico “Gangway” de G-Herbo, onde ele cospe alguns versos sem o apoio de qualquer refrão. “Free Uzi” é sonoramente semelhante ao que estamos acostumados a ouvir do rapper. Porém, há um pouco mais de sagacidade lírica, incluindo uma referência sinistra a Colin Kaepernick – ele também aborda seus próprios negócios, incluindo os impostos e o dinheiro que perdeu. A segunda metade é mais chamativa que a primeira; o fluxo cresce correspondentemente e Uzi Vert atinge a cadência que precisa. “Free Uzi” possui a missão de libertá-lo de uma situação desdenhosa. Depois de tudo o que aconteceu, a suspeita sobre a autenticidade da música é justificável.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.