Review: Kanye West & Lil Pump – I Love It (feat. Adele Givens)

No início da semana, foi anunciado que Kanye West estava se aproximando de um acordo com o Pornhub para se tornar o diretor criativo de sua premiação. Horas antes de ir ao ar, o acordo foi oficializado. Seus recentes comentários solidificaram seu amor pela pornografia e culminou no cargo de diretor de criação de um dos maiores sites de pornografia. Mais tarde, enquanto atuava como anfitrião do Pornhub Awards, Kanye West lançou o videoclipe de “I Love It”, uma colaboração com Lil Pump (que ficará preso por alguns meses por acusações de violação de liberdade condicional) e a comediante Adele Givens. O visual bizarro tornou-se um meme instantâneo, graças às imagens de West e Pump com macacões gigantes, cômicos e retangulares. Aqui, eles brincam como crianças gigantes e perseguem Givens por um corredor futurista cheio de estátuas nuas. Quando se trata de videoclipes com essa espécie de comédia, fica claro que a canção vai atingir as redes sociais. Spike Jonze é creditado como produtor executivo de “I Love It”, seu quarto vídeo com Kanye West; depois de “Flashing Lights”, “Otis” e “Only One”. Diferente dos citados, esse vídeo possui apenas dois caras com ternos gigantes balançando o corpo com seus calçados enormes. Se fôssemos comparar com qualquer trabalho do Spike Jonze, aquele que viria à mente seria o vídeo de “Get Back” do Ludacris. A música foi produzida pelo próprio West, juntamente com DJ Clark Kent, CBMix e Ronny J, e escrita por ele, Lil Pump e Smokepurpp. Na primeira audição, é uma música mediana que consiste em uma batida acompanhada por uma forte linha de baixo e letras obscenas. O repetitivo refrão é extremamente grudento e vai fazer você lutar para tirar do seu cérebro.

Logo no primeiro verso, Adele Givens fala sobre fingir orgasmos e aborda a sexualidade feminina: “Porque vocês sabem, antigamente / Elas não podiam dizer o que queriam dizer / Elas tinham que fingir orgasmos e tal / Hoje nós podemos dizer pros caras: ei, eu quero gozar, filho da puta”. Sua presença acaba gerando um toque agradável, uma vez que equilibra as piadas dos outros dois. Depois da abertura, Lil Pump surge com o refrão: “Você é tão vadia, eu amo isso / Você é tão vadia, eu amo isso”. Ele está encharcado de auto-tune e explora sua típica sensibilidade pop-rap. Antes do primeiro verso, ele expande o refrão afirmando: “Eu vou foder uma vadia, diga à prima dela / Seu namorado é um idiota, parece o McLovin”. Pump também se orgulha dos seus bens materiais, incluindo um Rolls Royce, joias e diamantes. Kanye West acrescenta algumas linhas no refrão seguinte, antes de ficar responsável pelo interlúdio e um dos versos. No pré-refrão, ele descreve com precisão o seu estado pervertido e deixa claro do que ele gosta: “Eu sou doente, eu gosto de uma rapidinha”. No verso seguinte, West fica ainda mais explícito sobre suas relações sexuais. Ele não mente quando afirma: “Eu sou um doente, sou inadequado / Eu gosto de ouvir histórias, gosto desse papo de vadia / Eu quero ouvir mais disso, gosto dessa conversinha / Me manda mais uns nudes, sua puta safada”. Com uma duração de apenas 2 minutos e pouco, “I Love It” é certamente uma faixa característica do SoundCloud no que diz respeito à duração e substância. Uma música completamente superficial, sem nenhum propósito, com uma produção básica, letras fúteis e rimas grosseiras. Se você não se importar com isso, pode até achá-la cativante. No entanto, ressalto que a única parte relevante é o divertido videoclipe.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.