Review: Eminem – KILLSHOT

Lançamento: 14/09/2018
Gênero: Hip hop
Produtor: Illa da Producer
Compositores: Marshall Mathers e Ray Fraser.

Estávamos esperando por esse momento desde o começo do mês. Ontem, Eminem veio com sua resposta impiedosamente letal para Machine Gun Kelly. É provavelmente o melhor que Eminem soou em meia década. Aqui, ele passa a maior parte do tempo ridicularizando o sucesso comercial do MGK. “Eu prefiro ser eu aos 80 anos do que você aos seus 20 anos”, Eminem diz. “Tive que te dar uma carreira para destruí-la”. “KILLSHOT” é uma resposta para “RAP DEVIL” do MGK, que faz referência ao título de “Rap God” do Eminem. Machine Gun Kelly zombou da idade do Marshall Mathers e de sua aparência facial. Trata-se de uma diss-track para um dos versos de “Not Alike”, faixa do álbum “Kamikaze” (2018). A briga entre os dois rappers deriva de um tweet de 2012, no qual Machine Gun Kelly chamou a filha do Eminem, Hailie Mathers, de “gostosa pra caralho”. Em outro momento, o MC de Detroit mira novamente na carreira do MGK. “Tenho mais fãs do que você na sua própria cidade, crianção / Vai brincar, pensa que eu sou a babá da Lil Tay”, ele cospe. E continua dizendo: “Você nunca fez um som do nível de um Biggie, ou um Jay / No nível da Taylor Swift, e daquela Iggy / Você está realmente prestes a explodir / Kelly, eles vão colocar seu nome / Junto do Ja Rule, junto do Benzino, morra, filho da puta / Tipo o último filho da puta que disse Hailie em vão / Cérebro de alienígena, você é satanista / Meus maiores fracassos são os seus maiores sucessos”. Os fãs do Eminem esperaram pacientemente pela resposta de seu ídolo e “KILLSHOT” é exatamente o que eles queriam. Sobre um piano clamoroso, Eminem abre a faixa dizendo que ficou com a Rihanna: “Rihanna acabou de me mandar mensagem / Ontem a noite eu deixei chupões no pescoço dela”.

Mais tarde, ele faz referências à Halsey e G-Eazy, rimando: “Você tá bravo / Porque o G-Eazy meteu fundo na Halsey / Seu suéter vermelho, seu couro preto / Você se veste melhor, eu faço rap melhor / Quer uma ameaça de morte ou uma carta de amor?”. Em outra linha, ele convoca a narrativa que expôs em “Stan”, insinuando que MGK é um fã obcecado e perturbado. Mas os golpes mais dolorosos não são sobre a aparência do Kelly ou sua falta de talento. “Ô, Kelly, eu tenho 45 anos / E ainda estou vendendo mais do que você / Aos 29 anos eu tinha três álbuns que tinham bombado”, ele cospe ao destruí-lo completamente. Eminem termina a faixa agressivamente, dizendo: “Estou cansado do seu cabelo loiro e brincos / Só porque você se olha no espelho / E acha que é o Marshall Mathers / Não significa que você é, e você não é / Então coloca meu pau na sua boca / E deixa minha filha fora dela”. Naturalmente, Eminem fornece alguns fluxos interessantes e um rápido jogo de palavras. E, melhor do que isso, ele acertou muitos tiros no MGK. As letras são frias, ferozes e miram principalmente na falta de sucesso comercial do Machine Gun Kelly. Provavelmente, a linha mais incendiária e talvez desnecessária da música, no entanto, é aquela que menciona o 2Pac. “Mas Kells, o dia que fizer um hit, é o dia que Diddy admite / Que ele acertou o “tiro” que matou o Pac”, ele diz. Ironicamente, no final da música Eminem pede desculpas ao Diddy e diz que está “apenas brincando”. “KILLSHOT” não é necessariamente um clássico, mas foi um tiro certeiro na auto-estima do Machine Gun Kelly. O álbum “Kamikaze” (2018) pode ter trazido um Eminem revitalizado, mas “KILLSHOT” trouxe de volta o MC implacável pelo qual os fãs se apaixonaram no início dos anos 2000. Aqui, o Eminem respondeu praticamente tudo que MGK colocou em “RAP DEVIL”. Agora cabe ao público decidir quem realmente venceu essa disputa!

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.