Review: E-40 & B-Legit – Connected and Respected (2018)

Lançamento: 06/04/2018
Gênero: Hip hop
Gravadora: Heavy on the Grind Entertainment
Produtores: DecadeZ, P-Lo, Tone Bone, Shonuff, JPZ, Traxamillion, M.A. Da Pilot, Fre$h On the Beat, Milles William, 12 Keyz, Statz, The Mekanix, Cal-A, RecceBeats e ProHoeZak.

Embora seja um álbum consistente, “Connected and Respected” apresenta um veterano do rap estagnado em seu novo álbum. É surpreendente ver E-40 menos consistente do que de costume, ao lado do seu primo B-Legit.

O“Connected and Respected” é um álbum de estúdio colaborativo dos rappers E-40 e B-Legit. Foi lançado em 06 de abril de 2018 via Heavy On The Grind Entertainment e apresenta dezenove faixas no total. Esse é o primeiro disco do E-40 desde o lançamento do álbum duplo “The D-Boy Diary: Book 1 & Book 2” (2016). Com mais de vinte álbuns lançados durante a sua carreira, E-40 resolveu aprofundar-se novamente em suas raízes através do “Connected and Respected”. Juntando-se ao seu primo B-Legit, eles criaram o seu primeiro projeto colaborativo como um duo. Essa união remete aos dias de escola quando ambos formaram uma banda juntos. Eles frequentaram a Grambling State University e fizeram um nome para si depois de ganhar um show de talentos. Trinta anos se passaram desde que eles fundaram o quarteto The Click, mas ambos continuaram juntos independentemente de suas jornadas individuais. Eles lançaram seu primeiro disco de hip hop em 1988 e acabou tornando-se um trabalho de família. E-40 recebeu apoio do seu irmão, D-Shot, seu primo, B-Legit, e sua irmã, Suga-T. Juntos os quatro vocalistas formaram o grupo The Click e lançaram um EP de estreia em 1990 pela gravadora Sick Wid’ It Records.

A força motriz por trás do grupo era E-40 que, posteriormente, acabou embarcando em uma carreira solo com o EP “Mr. Flamboyant” (1991). “Connected and Respected” é, em primeiro lugar, um lembrete do forte vínculo que esse dois rappers possuem. Portanto, ele nos leva de volta aos dias em que ambos encararam o gueto americano, muitas vezes dramatizado. O conjunto possui uma mensagem subjacente, conforme eles se esforçam para falar diretamente com os jovens negros americanos. O que faz do “Connected and Respected” uma surpresa bem-vinda é a produção trepidada e os recursos que inclinam-se para o talento local. Um projeto ancorado por uma abordagem dimensional e exclusiva, com técnicas e rimas bem diretas. Semelhante à maioria dos álbuns conjuntos de hip hop, “Connected and Respected” é conduzido pelas ambições do membro principal, neste caso o rapper E-40. É um lembrete para aqueles que herdaram a imensa plataforma da Bay Area de São Francisco, Califórnia. Simplesmente não há espaço para desvio quando se trata da música do rapper E-40. Ele continua lembrando os fãs de rap de sua influência e utiliza todos os truques possíveis. A produção do álbum é clássica da Costa Oeste dos Estados Unidos, como poderíamos esperar. O lirismo é forte, mas depende da entrega dos dois rappers. O jogo de palavras ainda é divertido, mas não tão complexo como de costume.

O desempenho é importante, mas não há grandes decepções neste registro. Os recursos adicionaram uma dinâmica no repertório e mostra o talento dos menos conhecidos. Cada um demonstra suas próprias habilidades, enquanto não interferem na coesão do álbum. “Life Lessons” é uma faixa de abertura que vê os rappers compartilhando as lições que aprenderam de uma forma ou de outra. E e B são veteranos do rap de rua que obedecem às regras e não são avessos a absurdos. Há um aceno ocasional nos riffs e abordagem old-school da sintetizada “Straight Like That” e da funky “So High”. Levando em conta o lançamento do projeto, os primos compartilharam antecipadamente um single produzido por P-Lo, chamado “Boy”. Um banger com som exclusivo e um baixo poderosamente pesado. Esta faixa se sai muito bem, uma vez que o fluxo consegue oferecer inspiração ao ouvinte. Como o hip hop continua falando sobre o desrespeito geracional, E-40 fornece um contexto cheio de nuances em “Guilty By Association”. Da mesma forma, eles detalham as condições mais adversas dos jovens em “Up Against It” e se associam a elementos criminosos na faixa “Meet the Dealers”. “Whooped”, com DecadeZ, serve como um dos melhores momentos do repertório.

“Eu sou cortado de um tecido diferente, não de vinil ou de plástico / Eu não estou no aeroporto, mas estou chegando na bagagem”, E cospe com seu estilo clássico. Posteriormente, B-Legit entra em cena e diz: “Sempre trancado com os africanos / Na linha de frente com um bastão preto / Questão militar para bater palmas pra eles”. As coisas realmente se tornam um assunto de família durante “Blame It”, onde eles se reúnem com os outros dois membros do The Click e provam que seus laços não foram desfeitos, mesmo depois de tanto tempo. Este lançamento mostra uma dupla veterana com uma química legítima. No geral, é um álbum interessante para aqueles que ainda são apaixonados pelo hip hop da Costa Oeste. Musicalmente, o repertório não se destaca na extensa discografia do E-40, no entanto, aprofunda-se na juventude e compartilha memórias que envolvem assuntos de família. Você poderia esperar um pouco mais dos dois, mas dificilmente este álbum vai atingir o grande público. Além disso, a tracklist formado por dezenove faixas parece bastante inchada e ambos não possuem mais aquela agilidade que marcou clássicos do passado. Mas dito isto, “Connected and Respected” não deixa de ser nostálgico e divertido, sem ser excessivamente autoconsciente e enjoativo. Não marca um novo território para E-40 e B-Legit, mas vale a pena escutá-lo.

  • 67%
    SCORE - 67%
67%

Favorite Tracks:

“Straight Like That (feat. Ocky)” / “Boy (feat. P-Lo)” / “Blame It (feat. The Click)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.