Review: Di Ferrero – Sentença

Lançamento: 16/03/2018
Gênero: Pop, R&B
Produtores: Diego Ferrero, Leandro Rocha e Gabriel Dassisti.
Compositores: Diego Ferrero, Leandro Rocha e Gabriel Dassisti

Di Ferrero chegou à fama quando estourou com a banda NX Zero por volta de 2006. O grupo passou a lançar vários hits que tocaram exaustivamente nas rádios brasileiras. Com certeza você deve se lembrar de singles como “Razões e Emoções”, “Pela Última Vez”, “Cedo Ou Tarde”, “Daqui Pra Frente”, “Cartas Pra Você”, “Espero a Minha Vez” e “Só Rezo”. Depois de liderar o NX Zero por cerca de dezesseis anos, Di Ferrero resolveu sair em carreira solo. A banda entrou em hiato por tempo indeterminado no começo de 2018. Toda a visibilidade que o NX Zero trouxe para o Di, fez ele ganhar vários prêmios e fãs no Brasil. É inegável que ele possui uma carreira estável e de sucesso. Em sua nova fase, o cantor resolveu lançar em março o seu primeiro single solo. “Sentença” mostra novas facetas e surpreende pela sonoridade recém-descoberta. Ele abraçou um som pop que se afasta completamente do rock-alternativo e hardcore-melódico do NX Zero. Sem dúvida, esta canção surpreendeu os fãs, afinal possui um ambiente muito diferente daquele que estavam acostumados.

Portanto, “Sentença” não marca apenas o início de sua carreira solo – ela é responsável por uma completa mudança de estilo. Liricamente, Di Ferrero reflete sobre a passagem do tempo e alguns arrependimentos. “Que grande ironia / Querer dar valor / Quando perde alguém / Isso não é amor”, ele canta no pré-refrão. Aparentemente, ele insinua que não foi valorizado por uma ex-namorada. Sonoramente, é incrível a mudança proposta por esta música. Afastando-se da abordagem emo do NX Zero, ele apresenta uma canção pop com influências de R&B contemporâneo e funk americano. Ademais, há uma dose adequada de batidas eletrônicas na mistura. Felizmente, essa experimentação foi bem sucedida, pois “Sentença” é uma música bem envolvente. Enquanto a melodia é encantadora, a linha de baixo funky e a guitarra polida complementam os vocais. “Isso é a sentença que você vai carregar / Só a minha ausência vai te fazer notar / Quem realmente sou”, ele canta no refrão, ao mesmo tempo que apresenta deliciosos falsetes. “Sentença” marca uma mudança sonora e mostra que sua carreira solo pode ser promissora.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.