Review: Anitta – Medicina

Em junho de 2018, Anitta criou uma disputa para escolher o seu próximo single. As candidatas eram “Medicina” e “Veneno”, o que resultou na vitória da primeira. A disputa foi criada através do lançamento de vídeos que abordavam o processo por trás da gravação. “Medicina” foi oficialmente lançada em 20 de julho, juntamente com um colorido videoclipe. Filmado na Colômbia, o vídeo mostra adolescentes de diferentes nacionalidades dançando a música. Da mesma forma, Anitta aparece em uma variedade de cenas, destacando-se aquela no telhado de um prédio coberto por um arco-íris. Ela continua vivendo um momento promissor em sua carreira. Recentemente, ela foi escalada para ser jurada do The Voice mexicano e anunciou uma série na Netflix. Todas essas jogadas de marketing servirão para lhe dar mais destaque internacional. O lançamento de “Medicina” é outra tentativa da carioca em conseguir visibilidade no mercado latino.

Escrita por ela, Maurício Montaner, Mario Cáceres, Andy Clay e Jon Leone, é uma canção totalmente em espanhol. Um pop latino com fortes influências de reggaeton, ritmo contagiante, cordas de influência oriental e letras que giram em torno de uma metáfora. Anitta quer unir as pessoas, fazê-las dançar e usar a música como “remédio” para curar o mundo. “Estamos indo para um canto / As bundas pulando como gelatina / A música curando como remédio”, ela canta. Além do sintetizador, riffs e fortes batidas de tambor, o ponto que mais chama atenção são os vocais de fundo formado por crianças. As vozes foram colocadas juntamente com o viciante gancho “da da dámelo otra vez”. Musicalmente e liricamente, é uma faixa extremamente simplista e sem nada de inovador. O refrão é cativante e gruda na cabeça, mas no geral fica aquém do esperado. A narrativa é formada por frases superficiais e clichês, assim como a instrumentação carece de variedade. Nos resta aguardar para ver se Anitta conseguirá despertar a atenção internacional com “Medicina”. Na minha opinião, ela é capaz de criar algo mais elaborado.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.