R.I.P. Chester Bennington of Linkin Park: uma das maiores vozes do século XXI!

Chester Bennington era um dos líderes do Linkin Park e uma das mais importantes vozes do rock.

Essa semana o mundo da música ficou devastado – Chester Bennington morreu. O talentoso vocalista do Linkin Park cometeu suicídio no dia 20 de julho de 2017. Aos 41 anos de idade, Chester era conhecido como um dos principais idealizadores do gênero nu metal. Juntamente com Mike Shinoda e companhia, ele fez muito sucesso com o Linkin Park. O cantor foi encontrado morto em sua casa em Los Angeles, exatamente no dia que Chris Cornell completaria 53 anos. Cornell era muito amigo de Bennington e infelizmente também se suicidou dois meses atrás. Ambos artistas lutavam contra o vício em drogas e álcool, mas foi o amor pela música que os uniu. Eles eram tão próximos que Cornell pediu para Chester ser o padrinho do seu filho, Christopher Nicholas. Relatórios indicaram que havia uma garrafa de álcool, parcialmente vazia, na sala que Chester morreu. Ele foi encontrado por um empregado em sua casa em Palos Verdes Estates, em torno das 9h da manhã (horário local). Linkin Park estava com uma turnê norte-americana programada para o dia 27 de julho, que agora foi oficialmente cancelada. A turnê iria promover “One More Light” (2017), o mais recente álbum da banda.

Chester Bennington (1976-2017) começou a tocar na adolescência e, no final da década de 90, foi apresentado para os membros de uma banda, que viria a se tornar o Linkin Park. A união deles foi tão bem sucedida, que eles rapidamente assinaram um contrato com a Warner Bros. Após lançar o disco “Hybrid Theory” em 2000, Linkin Park passou a se tornar uma das bandas de rock mais importantes da década. A combinação de riffs pesados, sons alternadamente melódicos, vocais incríveis de Bennington e golpes de Mike Shinoda transformou a banda num dos grupos de nu metal mais conhecidos do mundo.

Bennington já havia falado sobre sua luta contra o vício em substâncias e sua batalha contra pensamentos ruins. Em sua última entrevista, ele chegou a fazer um desabafo sobre depressão e problemas pessoais. Parecia um pedido de socorro. Além da luta contra drogas e álcool, ele disse no ano passado que já havia pensado em suicídio porque foi abusado quando criança por um homem mais velho. Em 2017, a indústria do rock foi devastada por duas tragédias que aconteceram da mesma maneira. Se tem uma lição que o mundo deveria tirar a partir disso, é que a depressão é algo extremamente sério. Todos precisam dar mais atenção para uma doença tão fatal como essa. Eu cresci ouvindo o Linkin Park, certamente foi uma banda que fez parte da minha adolescência. Não dá para negar que Chester possuía uma das vozes mais poderosas desse século. Eu fiquei incrivelmente chocado quando fiquei sabendo da sua morte. Parecia até mentira, principalmente pela forma como aconteceu. Ele já está marcado na história da música, nada vai tirar o seu legado. Uma voz importante que jamais será esquecida. Deixo essa pequena homenagem a ele. Que Deus conforte sua esposa, filhos e toda família. R.I.P. Chester Bennington.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.