Best New Music: Teyana Taylor – Rose in Harlem

Lançamento: 22/06/2018
Gênero: R&B, Hip-Hop
Produtores: Kanye West, Mike Dean, Evan Mast e BoogzDaBeast
Compositores: Teyana Taylor, Kanye West, Mike Dean, Denisia Andrews e Brittany Coney.

Teyana Taylor começou sua carreira como contratada da gravadora Star Trak do Pharrell Williams. Ela já trabalhou e gravou discos para alguns artistas conhecidos, tais como Usher e Chris Brown. Mas em 2012, ela assinou com a GOOD Music do Kanye West e cancelou o contrato com a Star Trak. Se aproximar do rapper tem sido benéfico para sua carreira. Em 22 de junho de 2018, Taylor lançou o seu segundo álbum de estúdio, que contou com a produção executiva do Kanye West. Aqui, os ouvintes recebem um visão necessária sobre ela na peça central do repertório, “Rose in Harlem”. Taylor canta e faz rap enquanto fala sobre falsos amigos da indústria e os obstáculos de sua carreira. Essa canção mostra a sua versatilidade como artista e, mais uma vez, prova que ela é uma cantora multifacetada. Musicalmente, “Rose in Harlem” contém sample de “Because I Love You, Girl” do grupo The Stylistics e interpolações com o poema “The Rose That Grew from Concrete” do 2Pac e “Spanish Harlem” de Ben E. King. Além de ser a faixa mais obscura e agressiva do álbum, possui uma honestidade que pode ser apreciada. É um golpe direto para os céticos, onde Taylor evita falar sobre relacionamentos e canaliza um fluxo acelerado sem perder o tom. Os trompetes cortam a música, ao passo que ela canta sobre florescer nas ruas de concreto de Harlem, Nova York.

A maravilhosa amostra de “Because I Love You, Girl” alimenta a canção, enquanto Taylor canta sobre a traição de pessoas próximas à ela. “Rose in Harlem” é uma faixa de R&B e hip-hop, onde ouvimos versos de rap rebaterem sobre uma batida old-school. Kanye West, Mike Dean, Evan Mast e BoogzDaBeast realmente se superaram por aqui. Liricamente, Teyana Taylor vai direto ao ponto: “Mas eu não estou chamando nenhum nome / Não, sem promoção gratuita”. Sua voz é poderosa e a mensagem se destaca mais do que qualquer outra coisa. “São aqueles que dizem que andam por você / São aqueles que você ama, eles também / São aqueles que juram que são reais, não são verdadeiros / São aqueles que mais se aproximam / São aqueles em quem você confia, eles também”, ela diz no refrão arenoso. No primeiro verso, Taylor se concentra na sua falha para conseguir sucesso – “Oh não, que vergonha / 10 anos no jogo / Você não é quente? / Você não é pop ainda? / O que há com você?” – e como esperado, vemos o elemento narrativo se sobressair. A percussão rebuscada acompanha Taylor o tempo todo, enquanto ela usa uma “rosa” como metáfora, assim como 2Pac fez no poema “The Rose That Grew from Concrete”. Embora não exista uma música ruim no álbum “K.T.S.E.” (2018), a faixa “Rose in Harlem” se destaca como um sucesso absoluto.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.