Review: Years & Years – Shine

Álbum: Communion
Lançamento: 03/07/2015
Gênero: Synthpop
Produtores: Years & Years e Ralph
Compositores: Oliver Alexander Thornton, Resul Emre Turkmen, Michael Thomas “Mikey” Goldsworthy, Mark Ralph e Greg Kurstin.

Olly Alexander, Mikey Goldsworthy e Emre Türkmen, formam o grupo eletrônico de Londres Years & Years. Com uma sonoridade feita através de uma mistura de eletro-pop, R&B e house, o grupo está adquirindo cada vez mais fama após o lançamento do seu primeiro álbum de estúdio. Sua mais nova música de trabalho, “Shine”, faixa três do disco, foi lançado recentemente dia 05 de julho como quinto single. O vídeo da música apresenta a banda atravessando uma casa em que ocorrem coisas sobrenaturais. Segundo eles, a inspiração para o clipe veio dos filmes “E.T. O Extraterrestre”, “Poltergeist” e “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”.

“Shine” continua a representar o som grandioso dos singles anteriores e prova que Years & Years é um trio muito original. O conteúdo lírico da canção exibe um intenso amor e o vocalista Olly Alexander mostra isso através dos vocais. Há um tom vulnerável e de tremenda qualidade na voz de Olly que torna a música muito poderosa. Sua voz é versátil, com alma e correlaciona muito bem com a batida da música. Em comparação com “King” e “Desire”, “Shine” tem um ritmo mais lento, porém, soa tão cativante quanto eles. O seus estilos são muito semelhantes, o que significa: uma sonoridade synthpop incrivelmente viciante, um forte refrão, letras sobre o amor e vocais frágeis, crus e encantadores.

Eles conseguiram construir, lentamente, nessa faixa um refrão que é cheio de emoção e diz: “Não me deixe para trás / Você pode me ver, eu estou brilhando / E é você que eu estive esperando encontrar”.  É incrível a ressonância emocional que o refrão oferece, uma sensação tão real que qualquer um pode se identificar. A produção também impressiona e leva a música para um nível ainda mais superior. Mikey Goldsworthy e Emre Türkmen realmente fizeram um excelente trabalho ao combinar vários instrumentos em uma batida tingida de PBR&B. Além da sua melodia extremamente poderosa, “Shine” tem uma melancolia peculiar que a deixou muito mais emocionalmente carregada que os singles anteriores. Desculpe o pleonasmo, mas “Shine” é literalmente brilhante!

82

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.