Best New Music: Vampire Weekend – Harmony Hall

Lançamento: 24/01/2019
Gênero: Indie pop
Produtores: Ariel Rechtshaid, Ezra Koenig e Rostam Batmanglij
Compositores: Ezra Koenig e Rostam Batmanglij

Já se passaram seis anos desde que ouvimos algo do Vampire Weekend, mas na semana passada, a banda decidiu acabar com o sofrimento dos fãs. Eles falaram sobre um ambicioso álbum duplo com dezoito faixas e marcaram o lançamento para a primavera. A boa notícia sobre ter que esperar tanto tempo é que Ezra Koenig e companhia resolveram lançar dois singles simultaneamente: “Harmony Hall” e “2021”. Através de três álbuns, o Vampire Weekend criou um mundo repleto de detalhes impressionantes. Mas como eles estão se sentindo nos dias de hoje? A julgar pelo primeiro single do “Father of the Bride”, a resposta é surpreendentemente positiva. Em “Harmony Hall”, Ezra Koenig, Chris Tomson e Chris Baio passam 5 minutos convocando um clima primaveril, com um piano alegre e doces toques de guitarra. Escondido atrás da guitarra acústica, Koenig se rende ao ritmo despreocupado e flutua durante o refrão. “E as paredes de pedra do Harmony Hall / Preste testemunho / Alguém com uma mente preocupada / Nunca poderia perdoar a visão / De cobras perversas / Dentro de um lugar / Você pensou que era digno”, ele canta. Hoje, Koenig não tem tanto medo dos seus sentimentos como há seis anos, mesmo que ele ainda esteja lutando com algumas velhas dúvidas existenciais. “Eu pensei que estava livre / De todo esse questionamento / Mas toda vez que um problema termina / Outra começa”, ele canta no pré-refrão. “Harmony Hall” é tudo que você quer de um single de retorno – pois possui todas as qualidades da banda.

Eles experimentam um pouco da música country e americana, e o resultado é bastante soberbo. Koenig mostra que é um letrista amadurecido, habilmente amarrando suas experiências de vida atuais – que envolve o casamento e a paternidade – à história da banda. Em um momento ele canta linhas do álbum “Modern Vampires of the City” (2013), uma auto-referência que certamente será apreciada por seus fãs. É maravilhoso saber que o som do Vampire Weekend não foi diluído com a saída do guitarrista Rostam Batmanglij. Pelo contrário, “Harmony Hall” apresenta uma linda instrumentação formada por melodias acústicas, solos de piano e uma bateria saltitante. Mais uma vez, Vampire Weekend não precisou forçar nenhum senso de charme em sua música – porque tudo isso decorre naturalmente da sua composição e atenção aos detalhes. De fato, a banda parece determinada a não apenas retornar em grande estilo, mas superar sua produção anterior e lançar o seu possível melhor álbum. Apesar do longo hiato, o talento do Vampire Weekend permaneceu intacto. Considerando que “2021” é uma faixa curta e experimental, ela pode não ser tão impactante. No entanto, é uma canção agradável que complementa perfeitamente o espectro de “Harmony Hall”. Também ajudando na infecciosidade temos o refrão inevitavelmente cativante, que soa como se Koenig estivesse completamente radiante.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.