Review: Tinashe – Faded Love (feat. Future)

Lançado em fevereiro, “Faded Love” é o segundo dos três singles anunciados por Tinashe. Em janeiro, ela compartilhou “No Drama”, com Offset, enquanto ainda está por vir “Me So Bad”, que contará com as participações de French Montana e Ty Dolla $ign. As três faixas citadas farão parte do seu próximo álbum de estúdio, intitulado “Joyride”. Tinashe e Future já haviam colaborado anteriormente na maravilhosa “How Many Times”, faixa do seu primeiro álbum. A cantora explicou que “How Many Times” era uma de suas canções favoritas do disco, por isso quis que Future também participasse do “Joyride”. Tinashe surgiu na indústria da música apresentando uma sensibilidade eletrônica noturna, conforme chamou atenção do público com o single “2 On”. Sua ascensão para conquistar a indústria tem sido difícil, mas ela não mostra qualquer desânimo. Após lançar “No Drama”, a cantora resolveu recrutar o onipresente Future para “Faded Love”. Este single parece mais promissor que o anterior, além de ser tão hipnótico quanto. É uma linda canção que se beneficia dos vocais e produção infundida do StarGate.

Suavizada através do trabalho vocal, “Faded Love” inicia tranquilamente e fornece uma adorável linha de baixo e melodia cativante. Mesmo que adote uma abordagem mais sutil e não provoque qualquer evolução, Tinashe consegue encantar. É uma faixa de R&B down-tempo, noturna e sensual com as maiores inflexões vocais da cantora. Liricamente, “Faded Love” a vê tentando conectar-se com um pretendente: “Não, não me diga seu nome / Não, não preciso do seu número salvo no meu telefone / Apenas me siga, me siga, me siga / Me siga pra casa / Quero tirar meus anéis na minha cama / Me deixe te pegar sozinha”. O lirismo é clichê, mas de alguma forma consegue ser eficaz. Tinashe não está interessada em um compromisso, apenas quer relaxar e curtir a noite ao lado de alguém. O refrão é bastante simples, porém, não deixa de ser atraente e pegajoso. Quanto ao Future, ele apresenta um verso melódico e cheio de auto-tune. Ele certamente não possui uma presença tão marcante ou necessária, embora consiga encaixar-se à vibração da música. Ademais, o seu nome provavelmente vai ajudar a música a obter uma maior atenção. Por fim, apesar de não ser inovadora, “Faded Love” preenche o requisito e atinge o objetivo.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.