Review: Tim McGraw – Humble and Kind

Álbum: Damn Country Music
Lançamento: 20/01/2016
Gênero: Country
Produtores: Byron Gallimore e Tim McGraw
Escritor: Lori McKenna.

“Humble and Kind” foi lançada em 20 de janeiro de 2016 como segundo single do álbum “Damn Country Music” de Tim McGraw. Foi escrita pela cantora/compositora Lori McKenna e produzida por McGraw e Byron Gallimore. É uma balada dedicada à filha do cantor que, recentemente, se formou no colegial. Atualmente, Tim McGraw está com 48 anos de idade e é, sem dúvida, um grande veterano da música country americana. Em sua prateleira se encontram 3 Grammy Awards, 14 Academy of Country Music awards, 10 American Music Awards e 3 People Choice Awards. Seus últimos álbuns tem sido bastante comerciais, algo que resultou em uma mudança de som. Aparentemente, ele não é um artista tão estável como costumava ser no passado. Entretanto, podemos dar a ele um crédito pela faixa “Humble and Kind”, uma canção encantadora e muito melhor que o primeiro single “Top of the World”.

Essa faixa possui uma composição elegante, onde o narrador dá conselhos para sua filha. Apesar de ser um pouco clichê, a letra é sólida e agradável de se ouvir. “Vá à igreja e faça o que sua mãe diz também / Visite o vovô cada chance que você puder / Não vai ser um desperdício de tempo / Sempre fique humilde e gentil”, ele canta na primeira estrofe. Toda a música é formada por linhas gentis, onde o cantor presta algumas boas recomendações à filha: “Segure a porta, diga por favor, diga obrigado / Não furte, não engane e não minta”. Em outro momento, McGraw também toca em assuntos mais profundos, como no verso: “Saiba a diferença de dormir com alguém / E dormir com alguém que você ama”.

Além do forte conteúdo lírico, o astro exibe uma interpretação sincera e uma melodia tipicamente bem construída. A produção de “Humble and Kind” é simplista e apresenta uma guitarra acústica como principal instrumento. A composição acústica ajuda a transmitir com propriedade a mensagem da música. Cordas adicionais, uma guitarra elétrica e a bateria também aparecem em alguns momentos. Não é uma canção country que depende da força de grandes guitarras ou ritmos extravagantes. O seu único problema são os vocais processados, que acabam tirando um pouco da emoção das letras. Uma canção como esta, com uma forte mensagem, precisa de uma entrega vocal mais emocionalmente carregada. E isto, infelizmente, não acontece. Mas, no geral, é uma música muito simpática e uma das melhores do seu 14º álbum de estúdio.

62

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.