Review: The Weeknd – After Hours

Opersonagem misterioso que The Weeknd apresentou no “Trilogy” (2012) sumiu depois que Max Martin produziu “Can’t Feel My Face”. De repente, Abel Tesfaye se transformou em um artista mainstream – embora uma progressão o tenha levado a um renascimento em “Starboy”. Posteriormente, ele forneceu um conflito interno no EP “My Dear Melancholy,” (2018), pisando entre um volátil R&B alternativo e pop sofisticado. No começo desse ano, Abel pavimentou um caminho animado novamente ao lado de Max Martin na incandescente “Blinding Lights”. Porém, agora ele está tentando voltar aos velhos hábitos com “After Hours”, a faixa-título do seu próximo álbum de estúdio. No entanto, embora seja uma canção sombria, longa e inquieta, não é tão fascinante quando seu trabalho mais antigo.

Co-produzida pelo próprio Weeknd ao lado de Illangelo, DeHeala e Mario Winans, a música começa com um antigo estilo de assinatura: falsetes, ecos e tons escuros. “Eu me tornei o homem que costumava ser”, ele canta, embora pareça preso no meio do caminho. Enquanto a atmosfera sombria é uma reminiscência do “Trilogy” (2012), há uma mudança temática clara: “After Hours” é um pedido de desculpas por quem ele era e um voto de mudar. “Eu estava fugindo da realidade / Perdendo o tempo todo vivendo minhas fantasias”, ele canta. Este é o Weeknd no seu arrependimento mais clichê, disposto a desistir de tudo apenas para abraçar suas raízes. A ironia é que o homem pelo qual ele está se desculpando é o mesmo apresentado no primeiro single do álbum, “Heartless”. Além disso, Weeknd anseia por uma ex-namorada, alguém que ele deixou de coração partido. “Oh querida, onde você está agora quando eu mais preciso de você?”, ele lamenta com seu falsete de marca registrada sobre batidas geladas. “Eu dou tudo apenas para abraçá-la / Desculpe por ter quebrado seu coração”. “After Hours” é uma faixa dark electro turbulenta que acaba transformando-se em um número sinistro.

É uma música para dirigir à noite; quando você coloca para tocar, soa como um néon manchado das 3 da manhã. Muitos relataram que estão presos à música em loop, mas ainda não é suficiente para satisfazer seus desejos. Na melhor das hipóteses, “After Hours” explora um relacionamento fracassado e o desgosto que se segue, juntamente com a vontade de reatar o namoro. Inesperadamente, no meio da música há uma batida dance influenciada pela disco music que altera o fluxo inicialmente introduzido. É definitivamente um retrocesso para o Weeknd; porque parece uma música mal-humorada do seu passado. A letra também destaca os momentos mais difíceis da vida de solteiro e como às vezes você só precisa de alguém ao seu lado. Junto com tal tema, há sintetizadores e batidas agitadas que parecem ter sido retiradas de um suspense dos anos 80.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.