Review: The Strokes – At the Door

Produzida por Rick Rubin, “At the Door” é o novo single da banda The Strokes após um hiato de sete anos. A canção fala sobre conexões humanas e sua versatilidade no mundo moderno. É a primeira amostra do que está por vir no sexto álbum de estúdio do quinteto liderado por Julian Casablancas, intitulado “The New Abnormal”. Nas letras de abertura, a banda canta sobre estar presa em um barranco. Uma maneira de definir o comportamento humano na sociedade moderna.

“Não consigo escapar / Eu nunca vou conseguir fazer isto a tempo”, Casablancas canta. “Meus pensamentos, uma bagunça / Como um garotinho / Pelo que você está correndo?”. Sonoramente, The Strokes decidiu focar em uma composição mais calma que nos leva de volta aos anos 80. “At the Door” tem um arranjo que é acompanhado apenas por instrumentos de sintetizador, com um efeito sonoro de 8 bits semelhante aos antigos videogames. Mas a banda garante que o refrão tenha uma sensação circular de um de seus clássicos, mesmo que a bateria de Fab Moretti esteja totalmente ausente. A atmosfera nostálgica é cada vez mais sentida quando assistimos o videoclipe que carrega um antigo conceito de animação. Em duas décadas, The Strokes passou por álbuns ruins, discussões pessoais e falsos recomeços – mas sua formação e som sempre permaneceram os mesmos. “Para lutar contra o que não posso ver / Não tentando construir, sem dinastia”, Julian canta no segundo verso. “Eu não posso ver além deste muro / Mas perdemos esse jogo / Tantas vezes antes”. The Strokes sempre retornou com o mesmo formato, mesmo com um material diferente. No entanto, quando foi a última vez que ficamos realmente empolgados com uma nova música deles?

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.