Review: The 1975 – It’s Not Living (If It’s Not with You)

Lançamento: 18/10/2018
Gênero: Indie rock, Synth-pop
Produtores: George Daniel e Matty Healy
Compositores: George Daniel, Adam Hann, Matty Healy e Ross MacDonald.

Anunciada no início desta semana nas redes sociais, pouca outra informação foi revelada sobre “It’s Not Living (If It’s Not with You)” além das letras, na qual o Matty Healy usa as drogas para lamentar a perda de um relacionamento. A banda se manteve ocupada com a divulgação do seu próximo álbum, lançando singles antecipadamente, tais como “Give Yourself a Try”, “Love It If We Made It”, “TOOTIMETOOTIMETOOTIME” e “Sincerity Is Scary”. Escrito e produzido por Healy e pelo baterista George Daniel, o novo álbum do The 1975, intitulado “A Brief Inquiry into Online Relationships”, pretende ser mais honesto do que os discos anteriores da banda, que costuma entregar um lirismo autoconsciente e irônico. “It’s Not Living (If It’s Not with You)” é uma explosão synth-pop e um conto sobre o vício do vocalista, com uma produção inspirada pelos anos 80. Ela é repleta de sintetizadores cintilantes, guitarras sinistras, teclados brilhantes e um refrão altamente eficaz. Além da produção, o vocalista Matthew Healy parece muito convincente, mesmo que ele não seja absolutamente impressionante ou supere as expectativas. Apesar da aura otimista da música, as letras são um relato de cortar o coração, não apenas por causa do amor não correspondido, mas pelo abuso de substâncias como um mecanismo de defesa. “Eu não consigo parar de suar ou controlar meus pés”, Healy canta.

Em assinatura ao estilo da banda, “It’s Not Living (If It’s Not with You)” prospera na justaposição dos sons eufóricos e reviravoltas líricas. Enquanto isso, as guitarras funky e os sintetizadores fazem maravilhas. Pode não ser uma música perfeita, mas é agradável e claramente pessoal. No decorrer das letras, você vai notar que Healy faz algumas comparações com Danny, um viciado em drogas. “Danny teve algumas complicações / Ele adormece durante conversas / Ele tem que procurar na rua quando está de férias / O pior é que eu estou na mesma situação”, ele canta. No primeiro refrão completo, ele acrescenta: “E tudo o que faço é sentar e pensar em você / Se eu soubesse o que você iria fazer / Recolher as minhas veias usando sapatos bonitos / Não é viver se não é com você”. Isso parece ser diferente de tudo que The 1975 já fez ou lançou anteriormente, mas funciona a seu favor. O refrão é absolutamente insano e contagiante, e cada vez que eu ouço, eu acho os vocais mais interessantes – é como se você ouvisse pela primeira vez. Aqui, Matty Healy conseguiu fazer uma autodepreciação soar agradável. Ele uniu dores distintas, que envolvem o desgosto e o vício, parecer um grande momento. Com certeza ele não foi o primeiro artista a comparar o uso de drogas com algum relacionamento romântico, mas fez isso de uma forma muito apaixonada e interessante. Em suma, com “It’s Not Living (If It’s Not with You)”, The 1975 lidou magistralmente com o vício sobre uma cativante corrente de sintetizadores no estilo anos 80!

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.