Review: The 1975 – Give Yourself a Try

Lançamento: 31/05/2018
Gênero: Post-Punk, Pop
Produtores: George Daniel e Matty Healy
Compositores: George Daniel, Adam Hann, Matty Healy, e Ross MacDonald.

Lançada essa semana, “Give Yourself a Try” é a primeira música da banda The 1975 em mais de dois anos. A faixa estreou em um programa da BBC Radio 1 na última quinta-feira. É a primeira amostra do próximo álbum de estúdio do grupo, intitulado “A Brief Inquiry into Online Relationships”, que será lançado em outubro. Anteriormente, a banda havia dito que seu próximo disco se chamaria “Music for Cars”, no entanto, houve uma mudança repentina. “Give Yourself a Try” é centrada em torno de um distorcido riff de guitarra elétrica. A serena voz de Matt Healy fornece reflexões sobre o envelhecimento e autoconsciência. “E o que você diria ao seu eu mais jovem? / Crescer uma barba é muito difícil / E o uísque nunca começa a ter bom gosto / E você ganhará muito dinheiro e é engraçado / Porque você vai se mudar para algum lugar ensolarado e ficar viciado em drogas “, ele canta na ponte. Dado o interesse da banda pelo brilho do new-wave dos anos 80, é natural que eles se preocupem em falar da juventude perdida. A faixa começa com uma rápida batida de bateria, enquanto a melodia lhe dá uma sensação futurista. Mas, da mesma forma, a melodia também nos remete à “Sex”, single do seu primeiro álbum. Aqui, os vocais de Healy estão incrivelmente sólidos, ele é o principal letrista da banda e possui grandes habilidades para músicas de desgosto e paixão. Mesmo que “Give Yourself a Try” seja diferente de qualquer outra música do The 1975, ainda soa como algo que você esperaria deles. A batida é estática, o baixo aparece em loop e o riff é estranhamente arranhado e repetitivo. Embora o uso de bateria eletrônica e teclado não seja novidade, a banda se aprofundou num novo território, enquanto manteve as coisas empolgantes. 

Liricamente, o conteúdo desta música é bastante confessional, uma vez que fala sobre complexidades e inseguranças a cerca do envelhecimento. Healy reflete sobre sua vida, saúde mental, doenças sexualmente transmissíveis, suicídio, vício em drogas e o esforço para aproveitar a juventude ao máximo. Apesar do tom entusiasmado, o lirismo de “Give Yourself a Try” é bastante sombrio e escuro. Mas não é novidade que The 1975 costuma atrair ouvintes graças às letras profundamente reflexivas e às vezes auto-depreciativas. “Você aprende algumas coisas quando chega à minha idade / Como amigos não mentem e tudo tem o mesmo gosto no escuro”, Healy canta nas primeiras linhas. Mais tarde, durante o segundo verso, ele diz sem qualquer remorso: “Eu encontrei um cabelo grisalho em um dos meus zoots / Como contexto em um debate moderno, acabei de tirá-lo / O único aparato necessário para a felicidade é sua dor e sair do lado de fora / E obter DSTs aos 27 anos não é uma vibe / Jane tirou a própria vida aos 16 anos, ela era uma criança que tinha a caixa tatuada no braço”. Na primeira audição, “Give Yourself a Try” pode soar bastante estranha aos seus ouvidos, especialmente por causa da agressiva progressão de acordes. Através da distorção e ruído da guitarra elétrica, esta canção fornece alguns acenos para o pop-punk e noise-rock. Além disso, também mistura um pouco de Joy Division com uma pitada de Radiohead. Não é uma canção tão brilhante quanto a cativante “The Sound” do seu último álbum. Mas, enquanto “Give Yourself a Try” não ilumina nossos ouvidos da mesma forma que “The Sound” ou “Sex”, é uma canção que pode sacudir qualquer público.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.