Review: Skank – Algo Parecido

Lançamento: 15/08/2018
Gênero: Pop
Produtores: Dudu Marote e Renato Cipriano
Compositor: Samuel Rosa.

OSkank está de volta com uma nova música, divulgada oficialmente nessa terça-feira, 14 de agosto. “Algo Parecido” foi gravada durante a apresentação da banda no Circo Voador, Rio de Janeiro. É o carro-chefe de “Os Três Primeiros”, um projeto que reúne hits dos três primeiros álbuns do grupo, “Skank” (1992), “Calango” (1994) e “Samba Poconé” (1996). Naquela época, o forte do Skank era justamente o reggae e o ska, gêneros de origem jamaicana. A ideia de desenvolver um novo disco ao vivo surgiu da vontade do grupo de dar destaque à músicas que passaram despercebidas por causa de grandes hits do próprio Skank, tais como “Te Ver”, “Pacato Cidadão”, “Jackie Tequila”, “Garota Nacional” e “É Uma Partida de Futebol”. “Nós decidimos lança-la porque não queríamos seguir uma fórmula atual de soltar singles isolados ou esperar um disco de inéditas. Já que estamos lançando material novo, ao vivo, vamos incluir ‘Algo Parecido’ que simboliza tanto meu jeito de compor atualmente quanto ‘Beijo na Guanabara’, que é composição da época e que não entrou em nenhum disco”, disse Samuel Rosa. Ironicamente, “Algo Parecido” possui maiores semelhanças com as faixas de álbuns que viriam na sequência dessa tríade, uma vez que é marcada por influência do pop e MPB.

Ademais, “Os Três Primeiros” vai celebrar os 27 anos de carreira do Skank, que já vendeu quase 6 milhões de discos no Brasil. Escrita por Samuel Rosa, este novo single contém letras que refletem sobre as diferenças e o destino de um casal. Aqui, o violão ganha destaque sobre a melodia, enquanto há arranjos de cordas e um teclado dando forças aos vocais. É uma música mais contemporânea do que o esperado. “Escorre o tempo que seguro e cabe em minhas mãos / Eu empresto o meu mundo pra te ter então”, Samuel Rosa canta nas primeiras linhas. “Algo Parecido” é uma balada agradável de se ouvir, especialmente por causa da bela instrumentação. A letra pode parecer um pouco estranha de início, mas não passa de uma declaração de amor. “Aquilo que eu sinto por você / Parece ser maior / Que o destino que me passa e te passa / E há de ser um só”. Durante o refrão, Samuel Rosa também é acompanho por elegantes harmonias vocais. “Você bem que podia vir comigo / Para além do final dessa rua / O outro lado da cidade / Ou algo parecido”, ele canta nesse momento. Os vocais estão aprazíveis e serenos, enquanto toda a música é graciosa. Trata-se da primeira canção inédita do Skank desde o álbum “Velocia” (2014), lançado há quatro anos.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.