Best New Track: Rihanna – Work (feat. Drake)

Álbum: ANTi
Lançamento: 27/01/2016
Gênero: Dancehall, Reggae-Pop
Produtores: Boi-1da e Kuk Harrell
Compositores: Jahron Braithwaite, Matthew Samuels, Allen Ritter, Rupert Thomas, Aubrey Graham, Robyn Fenty e Monte Moir.

Lançada em 27 de janeiro de 2016, “Work” é o primeiro single do mais recente álbum de estúdio de Rihanna. Depois de inexplicáveis atrasos, a cantora de Barbados finalmente lançou o seu oitavo e muito aguardado álbum. Intitulado “ANTi”, o lançamento do disco chegou a ser uma surpresa, visto que não teve nenhum anúncio prévio. Ao longo de 2015, Rihanna chegou a lançar três singles promocionais (“FourFiveSeconds”, “Bitch Better Have My Money” e “American Oxygen”) para promover esse projeto. Entretanto, o mesmo parecia que nunca iria ser lançado. Essa canção marca a terceira colaboração entre Rihanna e Drake, após os singles “What’s My Name?” e “Take Care”. Musicalmente, “Work” é um dancehall e reggae-pop, que ainda combina influências de hip-hop com vibrações tropicais.

A interessante produção, encomendada por Boi-1da e PartyNextDoor, faz uso de uma linha de baixo minimalista, sintetizadores rebuscados, uma batida de infiltração, flauta, tambores e um piano. Surpreendentemente, a canção foi escrita por oito pessoas, incluindo Rihanna e Drake. Ainda assim, apresenta algumas das mais fracas composições da cantora, desde que ela saltou na cena musical em 2005. A música, dificilmente, desvia-se daquilo que esperamos ouvir de Rihanna, algo que não é necessariamente ruim. A pista realmente sente-se como um retorno de Rihanna à sua forma, enquanto sua voz flutua sem esforço através de batidas tropicais e elementos dancehall. Porém, jogar pelo lado seguro, muitas vezes, tem suas desvantagens, como a música parece não ir a qualquer lugar.

Não há elevações crescentes ou algum break down-tempo a serem encontrados por aqui, apenas uma típica canção de uma grande estrela pop. O refrão, embora seja bastante grudento, soa um pouco preguiçoso. Ele é repetitivo e apoiado por um desempenho um pouco incoerente e de difícil compreensão. O suave tom de sua voz, felizmente, compensa essa falha ao adicionar algumas harmonias necessárias. “Trabalhando, trabalhando, trabalhando / Trabalho, trabalho / Se você me olhar estarei / Trabalhando, trabalhando, trabalhando / Trabalhando, trabalhando / Se você me olhar / Sujo, sujo, sujo / Trabalhando, trabalhando, trabalhando (…)”, ela canta aqui. Liricamente, “Work” concentra-se em falar sobre um relacionamento frágil, algo que pode ser visto nas linhas: “Se eu tiver outra chance de / Eu nunca, nunca irei te negligenciar / Quer dizer, quem sou eu para te julgar pelo seu passado”.

Em meados de dois minutos, Drake aparece e coopera com um verso louvável ao elogiar Rihanna. Seu verso, estrategicamente formado por linhas inteligentes, consegue manter o interesse do ouvinte. Ele é levemente sugestivo, coeso e faz a música alcançar um acabamento adequado. Linhas como – “Se você tivesse uma irmã gêmea eu ainda te escolheria” – consegue mostra uma conexão mais profunda com Rihanna. “Work” não deixa de ser cativante, mas também não deixa de soar apressada, preguiçosa em alguns pontos e repetitiva. Quando comparada com o catálogo de hits de Rihanna, que inclui faixas como “Umbrella”, “Disturbia”, “We Found Love” e “Diamonds”, a canção não faz jus ao seu potencial. Há pequenos vislumbres interessantes e a química entre Rihanna e Drake está intacta. Mas o produto final deixa a desejar.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.