Review: Post Malone – Psycho (feat. Ty Dolla $ign)

Post Malone tornou-se onipresente nos charts depois do sucesso de “White Iverson”, “Congratulations” e, posteriormente, “rockstar”. Nos últimos meses, ele marcou forte presença nas playlists do Spotify e preencheu várias lacunas das paradas da Billboard. Ele é o retrato perfeito do tipo de artista que o público mainstream consome atualmente. O seu single mais recente, “Psycho”, foi lançado em 23 de fevereiro de 2018 e conta com a presença de Ty Dolla $ign. É o segundo single do seu próximo álbum de estúdio, intitulado “Beerbongs & Bentleys”. Basicamente, “Psycho” parece uma continuação melódica de “White Iverson”, porém, com uma batida trap por trás. Embora não seja inovadora, é uma canção descontraída e extremamente infecciosa. O estilo do Post Malone tem sido muito divisivo em sua carreira, com críticos repreendendo sua abordagem demasiadamente suave e superficial. Mas, independentemente da opinião dos críticos, Post Malone tornou-se onipresente e sabe como obter sucesso na indústria moderna. Desde sua inesperada ascensão para a fama, ele tornou-se muito reconhecível, seja pela imagem distinta, charme exótico ou vocais melódicos. E, usando suas principais características, que ele nos apresentou “Psycho”. Sua batida trap é muito básica e sem inspiração, mas é uma música muito acessível.

Está longe de ser uma excelente canção, mas possui a qualidade cativante que está presente na maior parte de sua discografia. Onde “rockstar” celebra as circunstâncias associadas à fama, “Psycho” soa mais sincera. Apesar do título sombrio e capa assustadora, é uma canção gentil se comparada com “rockstar”. “Droga, meu relógio AP tá ficando louco, garota má como o Michael / Não se pode confiar em ninguém com todas essas joias em você / Meu carro não tem teto, tenho diamantes que podem encher um barco”, ele canta ao se gabar de sua riqueza. O lirismo é um pouco repetitivo e definitivamente não possui qualquer substância. O verso de Ty Dolla $ign, por exemplo, parece que foi escrito em menos de cinco minutos. De qualquer forma, ele não interfere no resultado final, seja para melhor ou pior. Sonoramente, “Psycho” compartilha algumas semelhanças com a melodia de “rockstar”. A melodia certamente está no ponto, por isso não é surpreendente o sucesso que está adquirindo. Uma das coisas mais atraentes sobre a música é a sua vibração gelada e descontraída, mesmo a batida sendo básica. Depois de ser introduzida por acordes de uma guitarra, “Psycho” apresenta sintetizadores amanteigados, batidas de tambor e uma voz incrivelmente relaxante. O refrão é cativante, suave e possui um tom rítmico que gruda facilmente na cabeça. Mas, embora “Psycho” seja decente e possua melodias extremamente efetivas, não esconde as falhas e limitações de sua escrita.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.