Review: Nicki Minaj – Barbie Tingz

Lançamento: 12/04/2018
Gênero: Hip-Hop
Produtor: Chevy Music
Escritores: Onika Maraj e Jeremy Reid.

Em 12 de abril de 2018, Nicki Minaj lançou dois novo singles, “Barbie Tingz” e “Chun-Li”. Uma nova era da rapper está se aproximando e ela não decepcionou seu fãs. Embora tenha colaborado com inúmeros artistas nos últimos anos, seu álbum mais recente foi lançado em 2014. Desde o início, “Barbie Tingz” serve como um lembrete do fluxo viciante da Nicki Minaj. As batidas são nítidas e o fluxo se mantém no centro do palco. Uma faixa de hip-hop e trap que mostra a rapper relembrando suas raízes do “Pink Friday” (2010). É realmente uma reminiscência de quando ela surgiu no cenário hip-hop. Mas há um crescimento perceptível por aqui, portanto, você pode notar que a rapper amadureceu ao longo dos anos. “Vamos ser realistas, todas vocês vadias querem parecer comigo / Querem estar na demanda, ter uma agenda como a minha”, ela diz no refrão. Nesta faixa, Minaj quer que todos saibam o quanto ela é poderosa. Enquanto ela faz uma possível referência à sua rivalidade com outras mulheres, “Barbie Tingz” entrega versos cheios de atitude e confiança. Em determinados momentos, ela fica atrevida e entrega linhas bem explícitas.

Aparentemente, ela se dirige à outras rappers que estão tentando copiá-la. “As vadias do rap dizem às suas equipes: Façam como a Barbie / Tive que sair do Instagram para que elas não pudessem me stalkear / Tudo o que elas fazem é copiar os looks, roubar músicas também / Quero ver o que as vadias vão fazer quando perderem a cópia / Quero dizer, o Pinkprint, vadia, absorva a informação”, ela diz no segundo verso. Sonoramente, “Barbie Tingz” começa com uma percussão e sintetizador, enquanto eventualmente a batida se torna o centro de tudo. A programação de bateria faz uma mistura de sons contemporâneos com uma vibe old-school, por isso parece o combustível ideal para Nicki Minaj cuspir suas rimas. Embora não seja uma faixa imediatamente cativante, mostra que ela pode fazer maravilhas sobre uma batida mais esquelética e minimalista. Certamente, Minaj não se reinventou ou apresentou algo inovador, porém, conseguiu se manter implacável. Embora seja um retorno comparável com “Beez in the Trap”, quarta faixa do álbum “Pink Friday: Roman Reloaded” (2012), não possui a grande qualidade da mesma. Felizmente, o seu glamour e atitude atrevida permaneceram intactos.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.