Review: Migos – BBO (Bad Bitches Only) [feat. 21 Savage]

Lançamento: 26/01/2018
Gênero: Hip hop, Trap
Produtores: Buddah Bless, Kanye West, DJ Durel, Quavo e Mike Dean
Compositores: Quavious Marshall, Kiari Cephus, Kirsnick Ball, Shayaa Abraham-Joseph, Tyron Douglas, Kanye West, Daryl McPherson, Mike Dean e Earl Moss.

Oálbum “Culture II” (2018) do Migos está repleto de batidas cativantes, e uma faixa em especial se mantém como peça central do repertório. Apresentando a produção de Buddha Bless, DJ Durel e Kanye West, bem como um verso convidado do 21 Savage, “BBO (Bad Bitches Only)” acentua as qualidades mais fortes de cada rapper. É uma das poucas faixas em que o refrão não é tratado por um dos três membros do grupo. Em vez disso, 21 Savage ocupa o centro do palco, oferecendo um refrão caracteristicamente impassível e complementado com alguns auto-ajustes. Como uma das produções mais colaborativas do álbum, a batida é incrivelmente dinâmica e permite cada membro tomar direções drasticamente diferentes durante os seus respectivos versos. Em um álbum que às vezes pode parecer extenso, “BBO (Bad Bitches Only)” surge como uma das faixas mais inventivas do trio, mesmo sem perder o foco do que o Migos faz de melhor. Além da ótima produção, esta faixa apresenta um fluxo confiante e grande química dos quatro rappers. “BBO (Bad Bitches Only)” possui um dos refrões mais memoráveis do álbum, provavelmente devido à sua simples repetição. Dito isto, o Migos parece ter um melhor desempenho quando outros artistas aparecem em suas faixas. Aqui, uma amostra de soul dos anos 60 dá lugar a uma linha de teclado muito descontraída.

Enquanto isso, os trompetes moldam o fluxo exclusivo do trio, com uma linha mais clássica de instrumentos inspirados nos anos 80. Com certeza a ótima colagem de sons africanos e orientais foi ideia do Kanye West. Ela ainda teve a oportunidade de combinar arranjos de metais com uma discreta linha vocal de influência gospel. Os tambores saltam de um lado para o outro, ao passo que Takeoff fornece o seu melhor desempenho no álbum. Enquanto os trompetes dão lugar ao teclado em loop, “BBO (Bad Bitches Only)” condensa anos de peculiaridades em uma dose única de euforia. No entanto, os metais são apenas uma pequena camada da mistura fascinante de sons. A composição possui fortes influências do Kanye West em cada detalhe meticulosamente trabalhado, como os sintetizadores futuristas, os corais gospel e os gemidos auto-sintonizados. Mas, mesmo parcialmente nas mãos do Ye, a faixa parece inquestionavelmente um produto da cena atual de Atlanta, um sentimento que se intensifica à medida que os três membros recitam seus versos. As linhas fortemente ajustadas do Quavo só aumentam essa familiaridade, enquanto os versos de Takeoff e Offset mencionam as origens letais da codeína na comunidade do hip-hop. Enquanto o gancho do 21 Savage continua sendo o mais penetrante, “BBO (Bad Bitches Only)” se destaca como o pacote mais completo da fórmula testada e aprovada do Migos.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.