Review: Melissa Etheridge – The Medicine Show (2019)

Lançamento: 12/04/2019
Gênero: Rock, Folk rock, Blues rock, Country rock
Gravadora: ME Records/Etheridge
Produtores: Jerry Wonda, RoccStar, Jerrod Bettis, Jon Levine e Melissa Etheridge

Algumas melodias e produções são exageradas, mas é a Melissa Etheridge que os fãs respeitam e conhecem tão bem.

Uma boa música anima o seu dia e tem relevância social oportuna. Em um momento de ansiedade geral – com divisão política, incerteza econômica e um bem-estar que precisa ser conquistado – Melissa Etheridge aborda questões atuais. Mas ao contrário de álbuns desse tipo, que encontram raiva e desespero na melodia, “The Medicine Show” apresenta amor, união e saúde como tópicos principais. Onde este álbum testemunha, é no poder duradouro da música fazer parte da solução. Para qualquer um que ouviu “Faded By Design” e presumiu que sabia o que estava vindo no seu décimo quinto álbum de estúdio, prepare-se para uma grande surpresa. A faixa-título é ousada, divertida e corajosa. É uma peça que te acompanha quando você arrasta seu corpo cansado para o banheiro e toma um banho. Como música, “The Medicine Show” é diferente de tudo que você já ouvi em um álbum da Melissa Etheridge. Mas isso é exatamente o que a torna mágica e excitante – nos lembra que ela ainda está em sua jornada musical. A música se abre instantaneamente, pesadamente e exige atenção. Possui acenos de “We Will Rock You” sobre isso e sua beleza está no fato de não pedir desculpas pelo que é.

“The Medicine Show” não é apenas mais um álbum da Melissa Etheridge. Ela está de volta com algo a dizer e produziu seu melhor e mais criativo álbum em anos. Após a abertura dramática, somos apresentados a um trio de músicas que poderia ser lançado como single: “Wild and Lonely”, “Shaking” e “Woman Like You”. “Wild and Lonely” é um clássico da cantora destinado para aqueles que amam “Come to My Window” e “No Souvenirs”. A sobreposição de sua narrativa, a emoção e a melodia parecem sublimes. O trabalho de guitarra também lança uma lente sobre o bom desenvolvimento de Melissa como guitarrista. “Shaking” possui riffs pesados, urgência nos vocais e uma intensidade no refrão, enquanto “Woman Like You” tem uma composição que transborda caráter. É uma música relativamente simples – mas, como os Beatles nos ensinaram – o simples e bem feito é difícil de conseguir. “I Know You” tem uma alma profunda e captura a verdade, o poder e a profundidade que vem de uma verdadeira alma gêmea – e um amor duradouro que transcende os altos e baixos diários da vida. A música começa de forma delicada e o sentimento geral tem uma honestidade nua. Na seção final, a música explode, enquanto a verdade atinge um pico natural.

A linda “Human Chain” nos lembra o quanto é difícil classificar a música da Melissa Etheridge. Há pitadas de rock, country e até influências de soul. É uma música sobre a esperança e a unidade que define a condição humana. A última faixa, “Last Hello”, fica no meio do caminho, onde uma linha vocal frágil e ansiosa é recebida por fogos de artifício percussivos. É um daqueles momentos em que a música se torna arte. Para qualquer um que tenha perdido um ente querido, essa canção captura a tristeza de sentir falta de alguém. No entanto, também há uma beleza penetrante e sutil que celebra a vida e o poder de valorizá-la. Como um álbum, “The Medicine Show” representa o triunfo enfático da qualidade sobre a moda. Em um mundo em rápida evolução, onde os aplicativos de streaming correm o risco de desvalorizar a música – Melissa Etheridge nos lembra da importância duradoura do cantor e compositor. Ao longo do registro, ela enfrenta problemas reais. Suas histórias concentram-se na força interior e no poder do indivíduo para assumir o controle e tornar o mundo um lugar melhor. E em tempos complicados, precisamos de música para nos unir e alimentar nossas crenças. Em suma, sua música é como um remédio para avançar em tempos difíceis; é edificante, unificadora e verdadeira.

  • 66%
    SCORE - 66%
66%

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.