Review: Marina & the Diamonds – I’m a Ruin

Álbum: FROOT
Lançamento: 22/03/2015
Gênero: Synthpop
Produtores: Marina Diamandis e David Kosten
Compositor: Marina Diamandis.

“I’m a Ruin” foi lançada por Marina & the Diamonds em 22 de março de 2015 como single do seu terceiro álbum de estúdio. Uma fascinante canção synthpop, com uma grande produção, um ótimo conteúdo lírico e uma perfeita entrega vocal de Marina Diamandis. É, sem dúvida, um dos maiores destaques que você pode encontar no álbum “FROOT”. Tal como acontece com as outras faixas do disco, “I’m a Ruin” foi escrita exclusivamente por Diamandis. Ela fala sobre uma experiência na qual Marina teve que romper com alguém, e acabou ficando com sentimentos de culpa por ter machucado determinada pessoa. Assim como o restante do “FROOT”, foi gravada com uma banda ao vivo e produzida com auxílio de David Kosten. O vídeo oficial da música foi dirigido por Marcus Lundqvist e filmado durante o final de janeiro de 2015 na ilha de Lanzarote (Espanha).

Ele apresenta Diamandis dançando na frente de uma paisagem montanhosa árida, que muda, mais tarde, para uma cena subaquática onde ela está rodeada por água-vivas. “I’m a Ruin” é uma faixa arejada, sombria, introspectiva e elegante, que oferece uma produção simples, porém, altamente sofisticada. Uma mid-tempo confessional que concentra-se nos sentimentos de Diamandis, conforme ela canta: “Vou arruinar, sim vou arruinar você / Ando fazendo coisas eu não deveria fazer / Sim, eu sou uma ruína”. Percebe-se que Marina & the Diamonds revisitou, nesta canção, as raízes indie-pop que a tornaram famosa. Aqui, ela centra-se em emoções líricas das quais os seus fãs são muito familiarizados. Como sempre, Marina Diamandis não decepciona. É um tipo de música que com certeza cresce em você com o tempo, especialmente, por conta dos excelentes vocais de Marina.

Quando a faixa começa parece que vai ser uma lenta balada. O início mais desamparado, com um acúmulo discreto de acordes de guitarra e uma amostra de tambor inconfundível, são uma combinação muito adequada. Quando o refrão chega, ele entrega uma energia espetacular e ainda faz uso de uns “Yeah, uh huh, ooh” que acrescentam uma natureza fantasmagórica incrivelmente grudenta. O aumento dos vocais e as letras incisivas é um dos momentos mais memoráveis da faixa. “I’m a Ruin” é realmente uma grande canção e um equilíbrio perfeito entre o pop e o som alternativo da cantora. É um processo lento, ainda cativante e uma forte representação do que podemos encontrar no álbum. É, resumidamente, um pequena parcela do quanto Marina & the Diamonds é uma artista talentosa.

88

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.

  • Sorry Not Sorry!!!!

    Essa musica é espetacular. Merecia ter entrado na Billboard Hot 100 e ocupado o #1.

    • Leo

      Concordo, é minha música favorita da Marina. Merecia ter sido um grande hit!

      • Sorry Not Sorry!!!!

        ate hj não entendo como não entrou na Hot 100, pois chegou ao #2 na iTunes nos EUA. A musica tinha tudo para ser um imenso hit.
        Por favor: Faca resenhas dos cantores Jon McLaughlin e Eliza Doolittle, o publico brasileiro merece conhecer a discografia deles.

        • Leo

          Vou adicionar ambos na minha lista de resenhas! Eles lançaram algum álbum recentemente?

          • Sorry Not Sorry!!!!

            A Eliza não, ela esta em estúdio. O do Jon o mais recente saiu ano passado, Like Us.