Review: Marília Mendonça – Ausência

Lançamento: 14/03/2018
Gênero: Sertanejo, Pop
Produtor: Eduardo Pepato
Compositores: Juliano Tchula, Hugo Henrique e Felipe de Paula.

Ocontralto da Marília Mendonça é muito atraente e a principal ferramenta que a levou ao sucesso. Mas assim como diversos outros artistas de sertanejo, suas letras tendem a cair para o lado clichê e as produções costumam ser muito padronizadas. Seu mais recente álbum ao vivo, “Agora é Que São Elas 2” (2018), possui nove faixas e a participação especial de Maiara & Maraisa em metade do repertório. Depois de lançar a fraca e aborrecida “A Culpa é Deles”, com as irmãs mato-grossenses, a cantora resolveu promover “Ausência” como single. Em tão pouco tempo, Marília Mendonça já possui um catálogo cheio de hits, incluindo “Alô Porteiro”, “Infiel”, “Como Faz Com Ela”, “Impasse”, “Eu Sei de Cor”, “Amante Não Tem Lar”, “De Quem é a Culpa?” e “Transplante”. Surpreendentemente, “Ausência” se afastou da banalidade do sertanejo da atualidade e conseguiu oferecer algo mais suave e despreocupado. A produção fornece adoráveis vocais de apoio e uma suavidade muito atraente. “Sei / Que o pra sempre virou pó / E na cabeça deu um nó / Mas eu tô bem consciente / Mas amei / Amei sozinha, mas por dois / Me conformei que agora, e não depois / Vou ter que seguir em frente”, ela canta ao falar sobre o fim de um relacionamento.

Apesar do término, Marília Mendonça parece otimista e diz estar consciente. “Preocupa não / Que eu não vou bater no seu portão / Preocupa não / Que não vai ver mais o meu nome em nenhuma ligação / Preocupa não / Que eu vou tomar vergonha na cara / Preocupa não / Pra um bom entendedor, meia ausência basta”, ela canta no refrão. A cantora diz que vai “tomar vergonha na cara” e parece determinada a esquecer o ex-namorado, depois de sofrer pela ausência dele. A composição da música, escrita por Juliano Tchula, Hugo Henrique e Felipe de Paula, é bastante simples e a duração bem curta. As primeiras linhas são conduzidas por acordes de violão e teclado, porém, à medida que se aproxima do refrão é reforçada pela percussão e o pandeiro. O maior ponto positivo de “Ausência”, além dos fortes vocais da cantora, é o excelente apoio dos backing vocals. Dito isto, embora não alcance a magia de “De Quem é a Culpa?”, sua canção mais emocionante e encantadora até a presente data, “Ausência” é uma faixa bem agradável. Portanto, merece entrar para o seleto grupo de hits da Marília Mendonça.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.