Review: Mac Miller – Good News

Existem várias maneiras de descrever o novo single do Mac Miller; dolorosamente íntimo, uma reminiscência da psicodelia dos anos 60 e um número confessional. Eu diria que é mais parecido com um adeus; um abraço caloroso de um velho amigo e um olhar esperançoso para um futuro que ele não conseguiu fazer parte – Miller morreu tragicamente em 2018 de uma overdose acidental. Co-produzida por Jon Brion, “Good News” é melódica, sutilmente reconfortante e mais doce do que amarga. Mac Miller era aberto sobre suas lutas contra as drogas e a depressão. O single fará parte do seu próximo álbum de estúdio, “Circles” – o primeiro projeto lançado após sua morte prematura. Sua música costumava incorporar elementos de hip hop da Costa Leste e elementos jazzísticos. “Good News” é bastante refinada e instrumentalmente pacífica, especialmente por causa das cordas sintetizadas, bateria empoeirada e guitarra sonolenta. Em outros lugares, os sintetizadores brilham e uma linha de baixo flexível é interrompida por belíssimas lambidas melódicas. Isso confere à música uma densidade hipnótica e um caleidoscópio de cores. Além do mais, os vocais parecem solitários, expostos e despreocupados. “Bem, não é tão ruim assim / Sempre poderia ser pior”, ele diz quase sem energia. Comparada à produção de suas melhores músicas, “Good News” é um pouco decepcionante – ademais, sua duração chega perto da marca de 6 minutos. Mas embora não seja perfeita, serve como um vislumbre dos últimos dias de sua vida.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.