Review: Ludmilla – Solta a Batida

Lançamento: 02/02/2018
Gênero: Dance-pop, R&B
Produtores: Umberto Tavares e Jefferson Junior
Escritores: Umberto Tavares, Jefferson Junior e Ludmilla.

Em 02 de fevereiro de 2018, Ludmilla lançou o primeiro single do seu próximo álbum de estúdio. Ao lado da Anitta, ela é uma das artistas pop de maior sucesso do mainstream brasileiro. Ela ficou conhecida em 2012 quando lançou a canção “Fala Mal de Mim”. Posteriormente, após assinar um contrato com a Warner Music Brasil, ganhou reconhecimento nacional. Pela gravadora, Ludmilla lançou até o momento dois álbuns de estúdio, “Hoje” (2014) e “A Danada Sou Eu” (2016). Ambos discos geraram várias canções de sucesso para o seu currículo, como “Hoje”, “Te Ensinei Certin”, “Não Quero Mais”, “24 Horas Por Dia”, “Bom” e “Cheguei”. Quatro meses depois de lançar “Tipo Crazy”, uma parceria internacional com o americano Jeremih, Ludmilla divulgou “Solta a Batida”. Assim como os seus maiores hits, é outra canção inegavelmente pegajosa. Os sintetizadores e a percussão conduzem a canção na maior parte, à medida que Ludmilla canta sobre sair para se divertir.

A letra é completamente acessível e cheia de rimas sem graça. É assustador a forma como o pop nacional usa palavras soltas apenas para rimar com a frase anterior. Essa música, por exemplo, está lotada de palavras sem sentido usadas apenas com o propósito de rimar. Podemos notar isso logo no primeiro verso, onde ela canta: “E eu vou no chão, até o chão, tentação / Pique provocação, quero ação, pegação”. Do que adianta o instrumental e melodia serem cativantes, se as letras não possuem qualquer significado. Dado o objetivo de “Solta a Batida”, sua composição torna-se mais compreensível. Afinal, é direcionada para um público mais jovem e exclusivamente com o intuito de fazer sucesso comercial. Entretanto, também é possível fazer música de qualidade e ao mesmo tempo acessível. Em suma, o refrão é o seu maior ponto de venda, especialmente por causa dos contínuos “ah, ah, ah-ah-ah, ah, ah”. As letras repetitivas e a sua duração, que possui menos de 3 minutos, também são fatores que a tornam mais radio-friendly.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.