Review: Lil Pump – Racks on Racks

Lançamento: 31/01/2019
Gênero: Hip hop, Trap
Produtores: Diablo
Compositores: Gazzy Garcia e Sebastian Baldeon

Afaixa “Racks on Racks”, gravada pelo rapper Lil Pump, fará parte do seu segundo álbum de estúdio, “Harverd Dropout”, que será lançado em 22 de fevereiro de 2019. Produzido pelo freqüente colaborador Diablo, a música liricamente e basicamente fala sobre a quantidade de dinheiro que Pump possui. O videoclipe, dirigido pela BRTHR, apresenta o rapper se gabando do seu dinheiro ao redor de várias mulheres em um deserto. Eventualmente, o vídeo avança para cenas animadas e um caminhão monstro ao lado de destroços flamejantes. É um conjunto que ainda fornece cenas com armas, helicópteros, sucatas de avião, mísseis, lança-chamas e fogos de artifício. É uma bagunça completamente mal editada, especialmente quando se trata dos efeitos de pós-produção. Além de falar sobre suas riquezas, ele também ostenta seus dentes grelhados com diamantes. Lil Pump continua lançando novas músicas e se superando com a qualidade ruim delas. O rapper adolescente divulgou singles questionáveis como “ESSKEETIT” e “Drug Addicts”, e mesmo assim continua replicando o sucesso estúpido da infecciosa “Gucci Gang”. De volta com mais mediocridade, Lil Pump chegou com “Racks on Racks”.

Ela possui uma produção intensa que alimenta os vocais, incluindo o uso de sintetizadores rítmicos e uma batida rígida. Sonoramente, há criatividade na produção, porém, Pump não oferece qualquer profundidade quando se trata de suas rimas. “Racks on Racks” permanece de acordo com a fórmula pré-estabelecida pelo rapper. Com Diablo na produção, Pump desperdiça o pouco tempo que possui se gabando de sua riqueza. Em sua defesa, ele conseguiu uma batida interessante, e os fãs estabelecidos provavelmente continuarão consumindo tal música. “Racks” em uma extremidade significa pilhas de dinheiro e na outra é uma gíria para seios femininos. Portanto, não é difícil adivinhar sobre o que este single fala. Ademais, não se surpreenda ao ouvir frases como: “80 graus, ainda usam casaco de pele Gucci” e “Eu poderia te comprar cocaína, mas não posso te comprar comida”. O importante para ele é falar sobre seu abuso de drogas, roupas de grife e desempenho sexual. Seu fluxo é muito similar ao staccato de “Gucci Gang”, mas falar sobre dinheiro é o maior clichê do hip-hop. O roteiro de “Racks on Racks” continua sendo básico para o rapper e, embora isso possa satisfazer seus fãs, não possui um espírito inovador. É outra oferta boring e mal cozida de um rapper adolescente em ascensão.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.