Review: Keith Urban – John Cougar, John Deere, John 3:16

Álbum: John Cougar, John Deere, John 3:16 – Single
Lançamento: 09/06/2015
Gênero: Country Pop
Produtores: Keith Urban e Dann Huff
Compositores: Shane McAnally, Ross Copperman e Josh Osborne.

“John Cougar, John Deere, John 3:16” é o título do primeiro single do oitavo álbum de estúdio do cantor country Keith Urban. Foi escrita por Shane McAnally, Ross Copperman e Josh Osborne, enquanto Keith Urban a co-produziu ao lado de Dann Huff. Urban construiu sua carreira como um vocalista que entrega canções cativantes e com grandes habilidades na guitarra, mas dessa vez seu maior foco foi o baixo. “John Cougar, John Deere, John 3:16” começa com uma forte batida de tambor, enquanto uma linha de baixo é intercalada na mistura. A batida não-country é o maior motor e o que mais impulsiona a música. Sua produção é mais simples, orgânica, com graves profundos e com o baixo dando uma forte sensação funky para a composição geral. Igualmente a seus singles mais recentes, como “Somewhere In My Car” e “We Were Us”, a música não tem uma unidade ou vitalidade, mas o seu ritmo e melodia conseguem se manter atraentes o tempo todo.

Além disso, a maneira como Urban modulou os acordes finais deixou a pista ainda mais interessante. Ao acelerar o ritmo da bateria eletrônica, depois da ponte, ele também deixou claro que a música é muito mais pop do que country. Puxando um estilo vocal reminiscente de Rob Thomas, o cantor neo-zelandês e australiano se mantém ocasional e se expressa de diferentes maneiras nesta faixa. Liricamente, a canção é mais uma daquelas onde ouvimos um rol de metáforas para descrever a si mesmo. Na lista de Keith Urban, inclui grandes comparações como “Eu sou um jantar de televisão em uma bandeja / Tentando descobrir a roda da fortuna” e “Eu sou John Wayne, Superman, Califórnia”. Não é o caso dessas, mas admito que algumas das outras metáforas são realmente interessantes.

“E eu sou uma criança de uma liberdade no banco de trás / Batizado por rock and roll / Marilyn Monroe e do Jardim do Éden / Nunca crescem, nunca envelhecem”, ele canta no carismático refrão. “Apenas um outro rebelde na grande abertos / Na alameda dos sonhos despedaçados / E eu aprendi tudo o que eu precisava saber / De John Cougar, John Deere, João 3:16”. Tanto o refrão, quanto a ponte e o título da música, fazem referências a João 3:16, um versículo da Bíblia que diz que se alguém acredita em Deus e Jesus Cristo viverá eternamente. Aparentemente, Shane McAnally, Ross Copperman e Josh Osborne trouxeram o seu melhor para a escrita desta canção. Keith Urban, por sua vez, agarra firmemente as imagens nostálgicas fornecidas por esse trio e entrega vocais com sinceridade que você esperaria de uma canção auto-escrita. Enfim, a música consegue captar um olhar pessoal de todos os diferentes aspectos da personalidade de Keith Urban.

69

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.