Review: Katy Perry – Harleys in Hawaii

Na última quarta-feira, Katy Perry lançou sua terceira música solo em 2019. “Harleys in Hawaii” foi escrita por ela, juntamente com Charlie Puth, Johan Carlsson e Jacob Kasher. Embora os fãs especulem que o recente trio de singles – “Never Really Over”, “Small Talk” e “Harleys in Hawaii” – foi lançado em antecipação a um novo álbum, Perry ainda não confirmou se um novo disco está a caminho. Falando sobre a inspiração para a música, ela disse que surgiu depois que o noivo Orlando Bloom a levou para um passeio de moto no Havaí. “Harleys in Hawaii” é um passo na direção certa – uma canção descontraída com riffs de guitarra acústica, fortes batidas de hip hop e sintetizadores de fundo. É seguro dizer que os vocais estão mais sensuais do que nunca – combina muito bem com ela. O refrão não é necessariamente bombástico, mas fica facilmente preso no subconsciente; é incrivelmente charmoso e arejado. “O céu está rosa e roxo / Estamos pilotando Harleys no Hawaii”, ela canta.

O videoclipe, dirigido pelo coletivo CANADA, mostra Katy Perry curtindo as férias no Havaí. Ela é vista andando de moto Harley Davidson, bebendo margaritas, cantando no karaokê, dançando no quarto, mergulhando no oceano e tendo momentos íntimos com o namorado – a vibe lembra o clipe de “Teenage Dream”. “Harleys in Hawaii” a posiciona onde ela parece mais confortável. Apesar do clima de verão que o estado mencionado no título evoca, a canção possui uma sensação gelada e incrivelmente melódica. “Eu serei seu amor em um domingo / Oh, por que não saímos da cidade? / Me chame de sua garota, na mesma onda / Oh, não, não, não há como desacelerarmos”, ela canta exalando sensualidade. É facilmente uma de suas músicas mais encantadoras, e uma das melhores do ano. Não, eu não estou exagerando. Perry se esforçou para encontrar a maneira mais eficaz de amadurecer seu bubblegum pop. Na maior parte, ela canta sobre uma batida com influência de trap, enquanto flutua com um falsete ofegante e apresenta um contraste genial entre a parte mais baixa do refrão. Em alguns momentos, podemos sentir a mesma brisa que atinge o rosto quando andamos de moto ao entardecer. O fluxo é repetitivo, mas viciante o suficiente para nos influenciar. Há arranjos havaianos criados a partir da guitarra acústica, assim como elementos de reggae. Recentemente, as músicas se tornaram mais curtas por causa dos serviços de streaming e, para isso, muitos artistas estão sacrificando a ponte. No caso de “Harleys in Hawaii”, a pequena ponte apresenta improvisações atmosféricas de um piano e sons do motor de uma motocicleta. No final, Perry nos serve algumas improvisações e acrobacias vocais que dão à música um clímax necessário.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.