Review: Jason Derülo – Cheyenne

Álbum: Everything Is 4
Lançamento: 30/06/2015
Gênero: Dancepop, Funky
Produtores: The Monsters and the Strangerz e Ian Kirkpatrick
Compositores: Jason Desrouleaux, Ian Kirkpatrick, Samuel Denison Martin, Lindy Robbins, Jason Evigan, Marcus Lomax, Stefan Johnson, Jordan Johnson e Robin Weisse.

“Cheyenne” foi a escolha para segundo single do quarto álbum do cantor Jason Derulo, sucedendo, dessa forma, o hit “Want to Want Me”. Enquanto a produção da música ficou a cargo de The Monsters and the Strangerz e Ian Kirkpatrick, nove pessoas foram responsáveis pela escrita, incluindo o próprio Derulo. Desde a sua estreia com “Whatcha Say” em 2009, Jason Derulo sempre foi muito bem sucedido quando trata-se de singles. Ele é muito talentoso, tem bons vocais, costuma exibir ótimos movimentos de dança e, embora nenhum dos seus álbuns o tenham definido como um grande artista, todos são divertidos de se ouvir. Agora, com o seu mais recente trabalho, “Everything Is 4”, Derulo finalmente dá indícios de que está em um território musical permanente e mais interessante.

Isso é ainda mais exemplificado com o seu mais recente single “Chayenne”, uma faixa caracterizada por pulsantes batidas e que narra um conto de envolver-se com uma garota chamada Chayenne apenas para se divertir. Fazendo uso frequente do seu falsete, Jason Derulo canta: “Você não é o que eu esperava / Pois tudo o que eu queria era diversão / Olha o que começamos, querida / Costumava procurar por ex-amores / Pois tudo o que eu queria era diversão / Eu nunca quis me apaixonar”. O seu falsete em “Chayenne” flui muito bem e ainda possui uma aura misteriosa. Sonoramente, a música começa com uma nota sinistra de sons de alguém batendo em uma porta. Essa introdução faz nos lembrar de “Smooth Criminal” de Michael Jackson, algo que teria sido legal para a música se inspirar.

Já o vídeo é quase uma reminiscência de “Thriller”, mas em vez de um apocalipse zumbi, o seu tema é fantasmasgórico e se passa em uma casa mal-assombrada. Um dancepop infundido por elementos urbanos, que mantém um ritmo bacana em favor de um tom menor, e realmente relembra o rei do pop. Enquanto em si “Chayenne” não seja uma faixa inovadora, em sua totalidade não deixa de ser uma música bem cativante. Suas excelentes guitarras estilo anos 1980, inclusive, lembram muito canções como “Style” (Taylor Swift) e “Do What U Want” (Lady Gaga), o que deve ser encarado como uma coisa boa. Enfim, gozando de letras convincentes, das quais ele disse ser baseadas em algo que realmente aconteceu, de uma ótima produção, vocais evocativos e um flerte bacana entre o pop e urbano, “Cheyenne” é certamente uma das melhores coisas encontradas no “Everything Is 4”.

70

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.