Review: HAIM – Summer Girl

Ontem, o trio HAIM lançou um novo single juntamente com um vídeo dirigido por Paul Thomas Anderson. Para uma banda conhecida pelo som californiano, “Summer Girl” tem uma vibe gelada e mantém o mesmo ritmo até o final. As partes mais memoráveis é o refrão e o poderoso saxofone. Isso dá à música uma sensação jazzística, um gênero que as irmãs nunca experimentaram antes. “Summer Girl” possui amostras de “Walk On the Wild Side” do Lou Reed, uma vez que ambas apresentam linhas de baixo descontraídas. A canção foi escrita na mesma época em que Ariel Rechtshaid, o produtor da banda e namorado de Danielle Haim – foi diagnosticado com câncer de testículo. Ele já se recuperou, mas essa música captura a positividade que as irmãs estavam tentando emitir, mesmo quando estavam incertas sobre o futuro. Ao longo dos anos, HAIM desenvolveu uma assinatura; construído sob molduras mínimas e harmonias apertadas, seu som é agudo, distinguível e difícil de imitar. Mas “Summer Girl” definitivamente não era o que eu esperava. A partir do título, eu esperava uma canção ensolarada repleta de ganchos cativantes e harmonias entusiasmadas. Em vez disso, temos uma produção bem simplista. Com o saxofone tocando silenciosamente no fundo, eu estava pacientemente esperando que ele fosse trazido para o centro das atenções. A base da música é minimalista e nada é realmente amplificado. Mas é uma ideia metafórica, sincera e possivelmente subestimada. As raízes do grupo permaneceram intactas, mas a fórmula é ajustada o suficiente para evocar bandas como Yo La Tengo.

As ruas de Los Angeles são mencionadas, mas a música é muito mais sombria do que o refrão sugere. “Summer Girl” refere-se à tentativa de Danielle consolar seu namorado com uma série de linhas emotivas: “Caindo do céu, até mim / Eu vejo em seu rosto, eu sou um alivio”. Uma linha de baixo arrastada preguiçosamente percorre os caminhos de “Summer Girl”, enquanto os tambores acompanham o tempo com um ritmo indiferente e um gancho de saxofone flutua em um solo improvisado. As letras permanecem vagamente otimistas até a ponte, quando Danielle canta: “Sob os viadutos da estrada / As lágrimas atrás de seus óculos escuros / Os medos dentro do seu coração, tão profundos como cortes / Você anda ao meu lado, não atrás de mim / Sinta o meu amor incondicional”. “Summer Girl” é um momento dolorosamente doce em que percebemos exatamente o que somos para as outras pessoas. Há uma qualidade arejada sustentada pelo medo e trauma. Tal como acontece com a inquieta “Right Now” – uma das faixas mais experimentais do “Something to Tell You” (2017) – é um caminho diferente para HAIM. Na superfície, “Summer Girl” soa exatamente como uma brisa de verão, mas é surpreendentemente fria. O fardo da positividade leva a uma inerente tristeza; no entanto, os vocais reconfortantes da Danielle transformam qualquer ansiedade em paz e todo o resto desaparece no modo meditativo em que ela repete a frase “eu sou sua garota de verão”. Como uma canção absolutamente perfeita, “Summer Girl” funciona melhor quando tocada em um final de semana preguiçoso, observando o sol mergulhar lentamente no horizonte enquanto pinta o céu com tons de laranja.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.