Review: Gucci Mane, Bruno Mars & Kodak Black – Wake Up in the Sky

Lançamento: 14/09/2018
Gênero: Hip hop
Produtor: Bruno Mars
Compositores: Radric Davis, Bruno Mars e Dieuson Octave.

Gucci Mane recrutou Bruno Mars e Kodak Black para participar do seu novo single, “Wake Up in the Sky”, que supostamente fará parte do seu próximo LP “Evil Genius”. Bruno Mars, que também produziu a canção, ficou responsável pelo refrão que diz: “Eu bebo até ficar chapado, fumo até ficar doidão / Castelo na colina, acordo no céu / Você não pode dizer que não sou foda / Eu sei que sou foda demais / As garotas adoram o luxo / É por isso que todas fodem comigo / Aqui com meus movimentos como se eu tivesse inventado o ritmo / Você não pode dizer que não sou foda / Eu sei que sou foda demais”. Enquanto isso, Gucci e Kodak contribuem com dois versos arrogantes, respectivamente. “Wake Up in the Sky” apresenta a primeira gravação do Kodak Black desde que foi libertado da prisão em 18 de agosto de 2018. Ele cumpriu sete meses por causa de uma série de acusações envolvendo agressão sexual. O single reúne novamente Gucci Mane e Bruno Mars, depois que o rapper apareceu no remix da faixa “That’s What I Like”. Em agosto, Gucci Mane se uniu a Lil Pump no single “Kept Back”, a primeira oferta do “Evil Genius”. Diante disso, ele comentou: “Eu realmente estive compilando um monte de músicas e ouvindo batidas”.

“Eu entrei no estúdio com o Metro Boomin, fiz um monte de músicas com o Southside e C.N.O.T.E., e só queria ter uma chance de fazer uma mixtape com todos os produtores que eu gosto. Eu escolhi talvez 60 ou 70 músicas”, concluiu. “Wake Up in the Sky” é uma ode à vida de luxo que os três artistas possuem, além de várias menções envolvendo drogas, mulheres e bebidas. Construído em torno do refrão do Bruno Mars, é uma faixa melódica com uma calorosa programação rítmica e atmosfera despreocupada. No entanto, as letras são demasiadamente superficiais e apenas falam sobre viver uma vida luxuosa. Embora o refrão seja insanamente cativante, os versos do Gucci Mane e Kodak Black são vazios e desprovidos de qualidade. O fluxo agudo do Kodak é muito mais agressivo, enquanto Gucci cospe algumas linhas intoxicantes. Ambos não vão muito além de palavras que expressam o prazer de fumar e beber. “Oh meu, eu comecei roubando motos e agora voo em jatinho particular / Não sei porque estive fumando esse bagulho por tanto tempo / Mas minha vida é essa”, Kodak recita. Tudo se resume em relaxar e curtir a sensação entorpecente que a maconha produz. Enquanto a produção, formada principalmente pelo baixo, tambor, sintetizador e teclado, é envolvente e sedutora, as letras são frágeis e carentes de profundidade.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.