Review: Gesaffelstein – Lost in the Fire (feat. The Weeknd)

Lançamento: 11/01/2019
Gênero: Synth-pop, R&B
Produtores: Gesaffelstein, DaHeala e The Weeknd
Compositores: Mike Lévy, Abel Tesfaye, Jason Quenneville, Ahmad Balshe e Nate Donmoyer

Gesaffelstein e Abel Tesfaye parecem ter uma química ideal, já que lançaram três músicas juntos em menos de 1 ano. O som do Gesaffelstein se encaixa no seu estilo de escrita, uma vez que sua produção é geralmente sombria. O produtor francês está se preparando para lançar a continuação do “Alpeh” (2013), seu primeiro álbum de estúdio. Dessa vez, a dupla retornou com uma colaboração chamada “Lost in the Fire”. Aqui, a voz do Abel é mergulhada em reverberações e tambores com efeitos dramáticos. “Lost in the Fire” poderia se encaixar perfeitamente no “Starboy” (2016), que foi impulsionado por singles mais otimistas do que baladas emocionais e introspectivas. Depois de participar do EP “My Dear Melancholy,” (2018), dessa vez , é Gesaffelstein quem é creditado como a atração principal. No entanto, assim como muitas músicas do The Weekend, há muito o que amar sobre essa canção. A produção é elegante, sólida e atraente, embora não tenha nada de novo ou impressionante. Os sintetizadores são o cenário perfeito para Weekend cantar. Como sempre, ele soa vocalmente soberbo e exibe seu tenor superior. Quanto às letras, o música não é repleta de sexo, mas possui algumas linhas controversas. Há uma frase em particular, no segundo verso, que está gerando muitos questionamentos nas redes sociais. “Você disse que pode curtir garotas / Você disse que está passando por uma fase / Mantendo seu coração seguro / Bem, amor, você pode trazer uma amiga / Ela pode sentar em seu rosto / Enquanto eu te fodo direito”, ele canta. A pergunta que fica é: podemos perdoar The Weeknd por essa representação horrível de uma relação bissexual?

A especulação é que “Lost in the Fire” é baseada em torno do relacionamento de The Weeknd e Bella Hadid. Olhando para a linha do tempo, podemos ver que o casal se separou por um ano entre novembro de 2016 e outubro de 2017. Neste período, Abel entrou em um relacionamento com Selena Gomez. O refrão de “Lost in the Fire” é uma repetição do grito de Abel por não ser capaz de sobreviver sem o amor de Bella. Demorou um ano para ele perceber isso. E parece que ele tem planos de longo prazo com ela. The Weeknd não mede as palavras enquanto fala sobre a bissexualidade da Bella. Em 2015, houve rumores de que ela foi vista beijando a modelo Stella Maxwell. Bella poderia ter confessado para The Weeknd, com quem ela estava namorando na época, dizendo que era uma fase. Agora, The Weeknd parece não se importar com sua bissexualidade. Mas além dessa referência de mau gosto, “Lost in the Fire” é uma provável diss-track para o Drake. “E eu só quero um bebê com a garota certa / Porque eu jamais seria o cara que esconderia um”, ele canta em outro momento. Possíveis controvérsias à parte, o resto de “Lost in the Fire” se desenrola como algo simples e direto, pisando em uma linha entre o amor e a luxúria neurótica. Ele está lamentando a perda de um parceiro, sob um trabalho de sintetizador brilhante e um ritmo de condução que ele adotou anteriormente no “Starboy” (2016). Embora eu não possa dizer que estou desapontado com essa música, também não estou impressionado. O padrão de bateria é extremamente similar à “Starboy” e faz com que “Lost in the Fire” perca um pouco do seu brilho para mim. O estilo de assinatura do The Weeknd não decepciona, mas o resultado final ficou aquém do esperado.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.