Review: George Ezra – Staying at Tamara’s (2018)

Lançamento: 23/03/2018
Gênero: Folk Pop
Gravadora: Columbia Records / Sony Music
Produtores: Cam Blackwood e Joel Pott.

George Ezra rapidamente se tornou um nome familiar quando lançou o single “Budapest” em 2014. Seu primeiro álbum, “Wanted On Voyage” (2014), vendeu mais de 1 milhão de cópias no Reino Unido, enquanto ele viajou pelo mundo por dois anos sem parar, junto com artistas como Sam Smith e Hozier. Seu altamente antecipado segundo álbum, “Staying at Tamara’s”, se estende à grandeza de sua estreia, apresentando uma série de boas canções e, mais uma vez, sua profunda e rouca voz. O chamado segundo álbum tem sido problemático para muitas bandas e artistas ao longo dos anos e, para George Ezra, seu novo lançamento veio com a pressão de ter que se igualar, ou mesmo exceder, o sucesso e crítica do seu antecessor. No geral, “Staying at Tamara’s” é uma coleção de onze faixas que mostra o crescimento de George Ezra como artista, e tenta destacar sua evolução lírica. É um álbum que focou no lado mais jovial de sua estreia e, embora não tenha aquele fator de capturar sua atenção instantaneamente, é muito agradável de se ouvir. Um sólido acompanhamento para o “Wanted On Voyage” (2014) que, realmente, é difícil de superar.

Felizmente, “Staying at Tamara’s” demonstra uma progressão madura do George Ezra, algo que difere de seu esforço anterior. Os grandes refrões estão de acordo com o que estamos acostumados a ouvir do cantor, porém, desta vez, seus vocais são entregues com uma maior dose de confiança. O refrão imensamente cativante do número de abertura, “Pretty Shining People”, dá um forte impulso para o álbum. Como esperado, George Ezra conduz a canção com seus distintos e robustos vocais. O primeiro single, “Don’t Matter Now”, começa com um som abafado e fornece uma produção exuberante, despreocupada e vintage. A guitarra rítmica, linha de baixo, backing vocals e os trompetes se destacam facilmente. Liricamente, Ezra fala sobre o que realmente importa para ele, independentemente da opinião dos outros. “Às vezes você precisa estar sozinho (Isto não importa agora) / Feche a porta, desconecte o telefone (Isto não importa agora)”, ele canta no primeiro verso. Em seguida, o ritmo não pára à medida que Ezra compartilha sons parecidos com o The Black Keys na faixa “Get Away”. A produção brilha através das guitarras acústicas, tambores, baixo e melodias entusiastas.

“Shotgun”, por sua vez, mostra o desenvolvimento do cantor conforme ele experimenta alguns ritmos tropicais. Os sons incomuns criam uma experiência refrescante para o ouvinte, enquanto as trompas e trompetes pintam o pano de fundo. O hit “Paradise” é divertido e ao mesmo tempo charmoso e brincalhão. O trabalho de produção corresponde ao seu entusiasmo e personalidade, e faz uma combinação da sua antiga e nova abordagem sonora. Ezra compartilha os primeiros e melhores momentos de um novo relacionamento. “Bem, é um paraíso sempre que estou com você / Seguindo em frente / Eu vou seguir na estrada / Eu vou encontrá-la, vou segurá-la, eu estarei lá”, ele canta de forma cativante. Músicas mais sentimentais como “All My Love” e “Hold My Girl” exibem um lado mais sensível do cantor. “All My Love” é uma faixa tão simples e despojada que encanta com facilidade. Ela faz uma mistura de pop e soul numa composição vintage com baixo, guitarra elétrica e pandeiro. “Hold My Girl”, por sua vez, possui um tom mais triste e é, inicialmente, acompanhada por um violão. À medida que avança, a produção é complementada pelo adição de um piano de cauda e cordas de violino. É uma balada crua e honesta dominada principalmente pelos graves vocais de Ezra.

Em “Savior”, o cantor se juntou com a dupla sueca First Aikd Kit. Uma canção que destaca a sua maturidade e combina perfeitamente seu profundo vocal com os tons suaves das irmãs Söderberg. A produção, com um ritmo folk-rock, e as letras são grandes pontos de venda. A paixão aumenta à medida que o ouvinte se aproxima do fim do álbum. Embora seja um pouco sombria e estranhamente reconfortante, “The Beautiful Dream” cria uma imagem celestial. A atmosfera enfeitada por teclas e sintetizadores flutuam ao fundo, ao passo que uma voz feminina sussurra: “Quando você acordar, eu estarei por perto”. Com esse registro, George Ezra demonstrou progresso e maturidade. “Staying at Tamara’s” pode ser tão acessível quanto a sua estreia, mas tem uma vantagem sentimental. Ele serve como um irmão mais velho do “Wanted on Voyage” (2014), pois também documenta a jornada do cantor. É decentemente organizado e bem produzido. Como sempre, a poderosa voz de Ezra é a estrela do show. Os vocais estão no ponto, a composição é muitas vezes divertida e os arranjos de alto nível. O equilíbrio entre o lirismo e composição é bem formulado, portanto, não há uma única faixa que esteja fora do lugar.

  • 61%
    SCORE - 61%
61%

Favorite Tracks:

“Don’t Matter Now” / “Shotgun” / “Paradise”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.