Review: George Ezra – Shotgun

Lançamento: 18/05/2018
Gênero: Folk Pop
Produtores: Cam Blackwood e FRED
Compositores: George Ezra e Joel Pott.

Lançada como single em 18 de maio de 2018, “Shotgun” foi escrita por George Ezra e Joel Pott, e produzida por Cam Blackwood. É uma canção que mostra o seu desenvolvimento, conforme ele experimenta alguns ritmos tropicais. Os sons incomuns criam uma experiência refrescante para o ouvinte, enquanto as trompas e trompetes pintam o pano de fundo. Toda a vibração de “Shotgun” é edificante e feliz, o que a torna perfeita para o verão. Ela é tão cativante que anima qualquer pessoa instantaneamente. O barítono do George Ezra é muito distinto e realmente o distingue de outros cantores da indústria. Consequentemente, “Shotgun” lhe dá a chance de apresentar algo diferente do seu primeiro disco, enquanto mergulha em ritmos de afrobeat. Essa canção cumpre o seu desejo em ter uma música parecida com “Graceland” do Paul Simon. Isso acaba oferecendo uma qualidade exótica para sua voz, graças a linha de baixo e as melodias tropicais. Liricamente, esta música fala sobre uma viagem ensolarada com os amigos pela Europa. Esse é exatamente o tema que a caracteriza, uma mensagem relacionável que narra um dia comum de sua vida. Uma canção que se concentra em coisas boas da vida e é traiçoeiramente cativante. Embora tenha um instrumental um pouco pesado, o ritmo é muito divertido de se ouvir. Ademais, os versos conseguem preparar o ouvinte para a espessura do refrão. O forte impulso mostra o desenvolvimento artístico do Ezra, enquanto ele experimenta algumas coisas novas.

A simplicidade de “Shotgun” é divertida, liricamente lúdica e ainda mostra o falsete do George Ezra. Felizmente, todo o conjunto consegue se salvar da desajeitada linha de abertura: “Jacaré criado em casa, até mais tarde”. A guitarra introdutória e os repetitivos sintetizadores guiam a canção e nos levam para um refrão pegajoso impulsionado pela pegajosa linha de baixo. Inesperadamente, o baixo é extremamente funky e a percussão está no ponto certo. George Ezra combina habilmente seu folk-pop alegre com letras divertidas para criar um cenário relativamente simples. As influências tropicais são, inegavelmente, um dos maiores pontos de venda da música. “Shotgun” é despojada e ainda consegue contar uma história de fuga e liberdade. Ele se contenta em ser apenas o passageiro em aventuras com os amigos. “Eu vou estar andando no banco da frente debaixo do sol quente / Sentindo-me como se eu fosse alguém”, ele canta no refrão. A frase “riding shotgun” refere-se aos dias do Velho Oeste, quando costumava haver um motorista de carroça controlando os cavalos e um guarda que usava normalmente uma espingarda. Nos dias atuais, isso significa andar no banco do passageiro no lado oposto do carro. Ou seja, George Ezra apenas canta sobre permanecer no banco da frente através do calor escaldante do verão. O resultado final é uma canção agradável, que provavelmente fará sucesso, mas não vai causar qualquer impressão duradoura.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.