Review: Foster the People – Worst Nites

Lançamento: 06/11/2018
Gênero: Indie pop, Electropop
Produtores: Mark Foster e Ryan Tedder
Compositores: Mark Foster, Garrett Borns e Ryan Tedder.

Em 05 de novembro de 2018, a banda Foster the People anunciou o lançamento de um novo single chamado “Worst Nites”. A capa foi desenhada por Young & Sick, que também projetou a arte da capa do “Torches” (2011) e “Supermodel” (2014). “Worst Nites” aparece na sequência de “Ride or Die”, uma canção gravada em colaboração com The Knocks. O álbum mais recente do grupo é o “Sacred Hearts Club” (2017), que apresenta o single “Sit Next to Me” – terceira faixa da banda que conseguiu entrar na parada da Billboard Hot 100. Depois de uma turnê bem sucedida com o Paramore, Mark Foster e companhia se sentaram com Zane Lowe para falar sobre o novo single e o que isso significa para a banda. “Worst Nites” possui um som colorido e é um ótimo próximo passo para o Foster the People. É uma música capaz de despertar a atenção dos fãs e deixá-los animados para o que está por vir. Este single é sonoramente parecido com as músicas anteriores da banda – além dos fortes elementos de electropop. Liricamente, “Worst Nites” fala sobre uma vida noturna em Los Angeles e apresenta co-escrita do Børns e do Ryan Tedder da banda OneRepublic. “Todas as minhas piores noites são as melhores / Costa Oeste roubando todo o meu sono”, ele canta no refrão, antes de completar o tema durante a ponte: “Você sabe / É só em Los Angeles / Sim, apenas em Los Angeles”.

O vídeo, dirigido pelo Mark Foster e o ator Josh Hutcherson é estrelado pelo infame palhaço Richie the Barber. As cenas mostram o personagem em uma perseguição que o leva de uma noite ruim para um de seus melhores momentos. Sobre a criação do vídeo, Mark disse o seguinte: “A ideia do clipe veio do curta-metragem que eu escrevi cerca de um ano atrás com o Josh Hutcherson. Tenho observado obsessivamente o Richie the Barber pelos últimos seis anos, então a ideia dependia de ele ser o protagonista. Liguei para o Josh uma semana antes de filmarmos e perguntei se ele estaria disposto a adaptá-lo ao nosso próximo videoclipe, em vez de um curta. Em seis dias, montamos uma equipe, procuramos locais, elenco e finalizamos as filmagens”. “Worst Nites” parece uma mistura das eras “Supermodel” (2014) e “Sacred Hearts Club” (2017), especialmente por causa da produção eletronicamente inspirada. Depois de apresentar o refrão nas primeiras linhas, Mark Foster é acompanhado por um singelo riff de sintetizador e uma guitarra deliciosamente funky durante o primeiro verso. O segundo refrão é mais intensificado pela bateria do Mark Pontius, enquanto os backing vocals ganham mais espaço. Próximo do final, o bumbo entra em ação e adiciona um pouco de variedade à música. A percussão é um ponto crucial em “Worst Nites”, da mesma forma que a guitarra e os vocais do Mark Foster. Em suma, embora não chegue no auge de “Pumped Up Kicks”, “Houdini” ou “Coming of Age”, é uma faixa agradável e um bom primeiro single.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.