Review: Fernando & Sorocaba – Cada Um Na Sua

Lançamento: 03/08/2018
Gênero: Sertanejo
Produtor: Ray Ferrari
Compositores: Felipe KeF, João Pedroni, Rafael Libi, Alex Teixeira, Cesar Zocante e Guilherme Rosa.

Os paranaenses Fernando Bonifácio (Fernando) e Fernando de Assis (Sorocaba) formam uma das duplas mais conhecidas da música sertaneja. Os dois foram apresentados por um amigo em comum em Londrina e, posteriormente, seguiram em uma carreira de sucesso. O seu primeiro DVD, “Bala de Prata ao Vivo” (2008), foi lançado pela Universal Music e vendeu mais de 50 mil cópias no Brasil. No ano seguinte, eles ficaram ainda mais conhecidos, graças ao hit “Paga Pau” que tocou exaustivamente nas rádios de todo o país. Seu primeiro disco lançado pela Som Livre, “Acústico” (2010), contou com a participação da dupla João Neto & Frederico. A maioria das canções de sucesso do duo foram escritas por Sorocaba, entre elas “Bala de Prata”, “A Casa Caiu”, “Madri”, “Tô passando Mal” e “Teus Segredos”. Além delas, Sorocaba foi o responsável por escrever “Meteoro” e “Você Não Sabe o Que é Amor”, dois singles de sucesso do Luan Santana. Depois de chegar ao top 10 da Billboard Brasil com “Bom Rapaz”, sua colaboração com Jorge & Mateus, a dupla lançou um novo single em 03 de agosto de 2018. “Cada Um Na Sua” fará parte do nono álbum ao vivo do Fernando & Sorocaba. Quando ouço uma nova música de alguma dupla sertaneja, sempre fico com a impressão de estar ouvindo qualquer outro cantor.

Raramente há alguma música inovadora ou distinta em um gênero como o sertanejo. Tudo soa reciclado ou familiar. É o mercado mais superlotado da indústria brasileira. Introduzida pelo acorde de um violão, “Cada Um Na Sua” é uma música lenta que poderia ser interpretada por qualquer outra dupla. Como não existe uma versão de estúdio da canção, as vozes do Fernando e Sorocaba são mais uma vez sobrecarregadas pela voz da multidão. Com uma estrutura básica, “Cada Um Na Sua” ganha maior força quando a bateria e o teclado aparecem após o primeiro refrão. A melodia é trivial e a instrumentação completamente sem graça. No entanto, os vocais estão no ponto e conseguem adicionar alguma emoção, mesmo a letra sendo tão superficial. “O cientista viaja na sua pesquisa / O professor, enquanto ensina / O motorista viaja pelas rodovias / E eu viajo em você”, eles cantam no primeiro verso. Ambos fazem algumas comparações para retratar o tamanho do amor por uma determinada mulher. Em seguida, isso é mais reforçado quando eles cantam o refrão: “Já imaginou que absurdo / Você viver sem o que mais ama no mundo / Tirar a farda do soldado / A lei do advogado / Acho que você já entendeu / O que eu queria dizer / Cada um na sua e eu em você”. “Cada Um Na Sua” pode não ser uma música completamente ruim, mas a falta de originalidade tira qualquer excitação de ouvi-la várias vezes.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.