Review: Fergie – M.I.L.F. $

Álbum: Double Dutchess
Lançamento: 01/07/2016
Gênero: Trap, Hip-Hop
Produtores: Polow da Don e AnonXmous
Escritores: Fergie Duhamel, Jamal Jones, Jocelyn Donald e Jonathan Solone Myvett.

Dez anos se passaram desde que Fergie lançou o “The Dutchess”, seu primeiro e único álbum solo. Ela sempre fez muito sucesso com o Black Eyed Peas, mas construiu um nome para si mesma com esse disco. Ele vendeu quase 4 milhões de cópias nos Estados Unidos e conseguiu três singles número #1 na Billboard Hot 100 (“Londo Bridge”, “Glamorous” e “Big Girls Don’t Cry”). Já faz dois anos que ela não lança um single inédito, o último foi “L.A. Love (La La)” em 2014. Agora, em 2016, Fergie retorna ao cenário musical com a agressiva “M.I.L.F. $”. Desde a capa do single, onde ela está visivelmente nua, já podemos perceber o quanto é uma música sexy. Muitas vezes, apelo sexual é uma arma importante para o marketing de qualquer música nos dias de hoje. “M.I.L.F. $” (pronuncia-se “Milf Money”, abreviatura para “Mother I’d Like to Follow”) foi produzida por Pollow da Don, que já trabalhou com inúmeros atrasos da indústria, como Christina Aguilera, Nicki Minaj, Rihanna e Usher. A faixa foi lançada como lead single do seu segundo álbum, intitulado “Double Dutchess”, com lançamento previsto para o final deste ano.

Segundo a cantora, ela foi inspirada pelo nascimento do seu filho para escrever a música. O objetivo da mesma é desafiar o convencional papel de mãe desempenhado na sociedade. Ela quer mostrar que mesmo sendo mãe, as mulheres ainda podem ter uma carreira, ser sexy e ter vida social. O excelente videoclipe da música, a propósito, dispõe de algumas mães famosas, como Kim Kardashian West, Ciara, Alessandra Ambrosio e Isabeli Fontana. Após o lançamento, “M.I.L.F. $” dividiu opiniões, pois muitos gostaram bastante e outros a acharam terrível. É uma música peculiar e potencialmente energética. É uma faixa trap com um conjunto de influências do gênero hip-hop. Mesmo com 41 anos de idade, Fergie não perdeu sua disposição ou talento para rimar com bastante agilidade e criatividade. Outra coisa que permanece nela, é a sua cativante mania de soletrar palavras, assim como em “Fergalicious” e “Glamorous”. Eu não vou mentir, após ela divulgar um trecho de “Hungry (1st Byte)” no Instagram e VEVO, eu esperava outra coisa para primeiro single. “M.I.L.F. $” não é ruim, mas também não deixa de ser confusa.

O refrão é ridiculamente grudento e a produção instantaneamente viciante. Porém, as mudanças sonoras na estrutura e progressão podem causa estranheza ao ouvinte na primeira audição. A música começa com o apoio do refrão, bassline e da ótima batida trap. Liricamente, é cheia de insinuações sexuais propositalmente exploradas durante todos os versos. “Ouvi dizer que você está a fim de um milkshake / Bem-vindo à Fábrica Laticínia da Duquesa do Amor / Eu poderia te bater como chantilly, te corrigir rapidinho / Entre pela porta da frente, o amor está depois da porta dos fundos”, ela canta. Recheado por um fascínio erótico, rimas ágeis e um vocal murmurando ao fundo, Fergie recita no refrão: “Você tem aquele, você tem aquele / Você tem aquele dinheirinho de mamãe / Eu tenho aquele, eu tenho aquele / Eu tenho aquele dinheiro de Mães Que Você Gostaria de Seguir”. Enquanto “M.I.L.F. $” é definitivamente explícita e poderosa, pode deixar muitos com o pé atrás. É uma canção confiante e corajosa, mas provavelmente não é a que muitas estavam esperando há 10 anos.

70

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.