Review: Dua Lipa – Swan Song (From the Motion Picture “Alita: Battle Angel”)

Lançamento: 24/01/2019
Gênero: Pop
Produtores: Lorna Blackwood, Mattman & Robin e MNEK
Compositores: Dua Lipa, Justin Tranter, Kennedi Lykken, Mattias Larsson, Robin Fredriksson e Thomas Holkenborg.

Dua Lipa está de volta com seu primeiro lançamento de 2019. A cantora acaba de lançar “Swan Song”, faixa retirada da trilha sonora do filme “Alita: Anjo de Combate”. Co-escrito por ela, juntamente com Justin Tranter, Kennedi Lykken, Mattias Larsson, Robin Fredriksson e Tom Holkenborg, “Swan Song” é uma canção agradavelmente empolgante. Dirigido por Floria Sigismondi, o vídeo da música mostra Dua Lipa navegando em torno de um mundo pós-apocalíptico. A cantora reforça mais tarde suas habilidades de luta, enquanto pratica movimentos de artes marciais em um espelho, apoiada por uma reflexão da protagonista do filme. Depois de lançar seu LP de estreia, Lipa já colaborou com Calvin Harris (“One Kiss”), Diplo / Mark Ronson (“Electricity”), e BLACKPINK (“Kiss and Make Up”). Ademais, ela foi indicada para dois Grammys Awards na cerimônia que acontecerá em 2019. Felizmente, Lipa não mostra qualquer sinal de desaceleração em 2019, uma vez que “Swan Song” foi apresentada ao público em 24 de janeiro. Para a cantora britânica, essa faixa é definitivamente uma nova direção. Ela ainda opera na mesma batida pop que está acostumada, mas a vibe é certamente diferente.

Os produtores Mattman & Robin parecem ter se inspirado em “Starboy”, faixa do The Weeknd produzida pelo Daft Punk, já que as batidas e o ritmo são muito similares. Embora Dua Lipa seja conhecida principalmente por seus vocais e atitude descontraída, quase indiferente, o drama em “Swan Song” a leva para um território mais teatral e experimental. O som angustiado complementa muito bem o conceito do filme. Cada vez que escuto, começo a apreciar cada vez mais as peculiaridades da produção. No primeiro verso, ela faz algumas perguntas importantes: “Qual é o sentido / De ter meus lábios se eles não fazem som? Qual é o sentido de não fazer nada / Enquanto assisto à queda?”. Enquanto explora sua liberdade, ela admite: “Eu não vou ficar quieta, não vou ficar quieta / Porque me calar é o mesmo que morrer”. Lipa canta com o apoio de uma batida eletrônica, sintetizadores arejados, amostras de trompetes e fortes backing vocals. As letras são sobre lutar, uma vez que ela não pode ver o mundo desmoronar e simplesmente ficar quieta assistindo. “Vivendo uma fantasia real / Desejando que fosse faz de contas / Qual o motivo para não fazer nada / Enquanto assisto à queda?”. Outra música agradável e cativante para o currículo da Dua Lipa!

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.