Review: Dua Lipa – Physical

Muitos artistas atuais exploram os sons dos anos 80 em busca de inspiração, mas nenhum se concentra como Dua Lipa. O título do seu segundo álbum, “Future Nostalgia”, destaca seu compromisso com tal afirmação. “Don’t Start Now” usa sintetizadores e linhas de baixo tão robustas quanto as joias daquela década. “Physical”, o seu mais novo single, é a peça mais óbvia até agora – ela contém uma linha de sintetizador extravagante sob uma melodia fortemente cativante. Uma música iluminada por neon que fica em algum lugar entre o disco e o electropop dos anos 80. Está repleta de sintetizadores e fortes batidas que fazem você sentir vontade de pegar alguém e correr para a pista de dança. É claro que a eterna “Physical” de Olivia Newton-John permanece na nossa mente, mas a música da Dua Lipa passa por uma devoção parecida. Ela canta sobre se sentir “rica em diamantes” com seu novo namorado, de forma tão empolgada que mal consegue dormir. “Quem precisa dormir quando tenho você comigo?”, ela canta. “As luzes estão apagadas, siga o som / Amor, continue dançando como se não tivesse escolha”. Embora “Don’t Start Now” tenha uma vibração clara de disco, “Physical” parece enraizada no synth-pop oitentista. A produção é definitivamente A+. O alto sintetizador do refrão é um toque genial e o suspense dos versos sublinha a tensão sexual nas letras. Com uma batida animada, melodia no estilo John Carpenter e todos os sons sintetizados que você pode imaginar, “Physical” celebra a mesma energia sexual que Olivia Newton-John compartilhou em seu mesmo hit de 1981. Em suma, capta a nostalgia que Dua Lipa parece pronta para canalizar em seu próximo álbum de estúdio.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.