Review: Dua Lipa – IDGAF

Lançamento: 12/01/2018
Gênero: Pop
Produtores: Stephen “Koz” Kozmeniuk, Larzz Principato e Lorna Blackwood
Escritores: Dua Lipa, MNEK, Larzz Principato, Skyler Stonestreet e Whiskey Water.

Em 12 de janeiro de 2018, a britânica Dua Lipa lançou “IDGAF”, abreviatura de “I Don’t Give a Fuck”, como sétimo single do seu debut-album. De acordo com Henry Scholfield, a ideia por trás do vídeo da música é “incorporar o sentimento de empoderamento, além de ir além do contexto de separação literal”. Dua Lipa, por sua vez, afirmou que o clipe é sobre “seu lado mais forte e mais fraco lutando um com o outro, apenas para perceber que o auto-amor é o que a ajudará a superar qualquer negatividade que venha a enfrentar”. “IDGAF” fornece um tom bastante vulnerável, além de tons de guitarra acústica e algumas mensagens importantes para os mais jovens. Lipa fica assertiva ao lado de uma melodia incrivelmente empolgante e elementos de hip-hop. A nítida bateria combinou perfeitamente com as letras, principalmente quando ela canta: “Você diz estar arrependido, mas agora é tarde demais / Então pare, some daqui, cala a boca / Porque se você acha que eu me importo com você / Bem, garoto, eu não dou a mínima”.

As letras co-escritas por MNEK cooperaram para tornar “IDGAF” em uma das melhores faixas do seu primeiro álbum. Enquanto a melodia do refrão é despreocupada e gigantesca, toda canção é infecciosa e fácil de memorizar. Depois de lançar alguns singles com uma narrativa lírica vulnerável, Lipa quis garantir que os ouvintes se familiarizem com o seu lado mais atrevido. “IDGAF” faz exatamente isso, pois desvia-se da vulnerabilidade em favor de destilar um momento de raiva e confiança. Liricamente, é um verdadeiro hino para aqueles que querem superar um(a) ex: “Então eu te corto! / Não preciso do seu amor / Porque eu já chorei o bastante / Eu me cansei / Estive seguindo em frente / Desde que dissemos adeus / Eu te corto! / Não preciso do seu amor / Então pode tentar o quanto quiser / Seu tempo acabou, vou te dizer por quê”. Há um contraste muito alto em “IDGAF” onde Dua Lipa permanece fiel a si mesma e mostra toda a sua fúria. Ela conseguiu transformar vulnerabilidade em força sobre uma melodia potencialmente cativante!

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.