Review: CupcakKe – Blackjack

Lançamento: 10/08/2018
Gênero: Hip hop, Dirty rap
Produtor: Bizness Boi & Ye Ali
Compositor: Elizabeth Harris.

CupcakKe, também conhecida como Marilyn Monhoe ou Queen Elizabitch, lançou outro single ontem. A rapper atrevida, responsável por letras como, “A vagina garantiu que você dormisse tão malditamente em breve / Cavalgando naquele pau, eu estou lendo Goodnight Moon”, ganhou fama graças ao seu fluxo fulminante e letras completamente explícitas. Ultimamente, ela tem trabalhado duro, mesmo depois de lançar o seu terceiro álbum de estúdio em janeiro. CupcakKe aproveitou o momento para divulgar “Blackjack”, que inclui linhas incrivelmente hilárias, tais como: “Seu pau não tem onde ficar / Então, eu deixo ele dormir nessa buceta para ajudar os sem-teto”. Isso é tão ousado quanto poderíamos esperar, e você pode ver que ela está realmente se divertindo com isso. Elizabeth Harris é uma MC de Chicago muito orgulhosa, sincera e desajeitada. O seu lirismo sexualmente carregado é atualmente o mais engraçado do hip hop. Em “Blackjack” ela oferece várias referências externas à cultura pop, comidas e itens domésticos. Há citações ao Scooby-Doo, Ashton Kutcher, Fetty Wap, Snapchat, maionese com pão, flores, sexo com batatas fritas e muitas comparações genitais. Sobrou até mesmo para o famoso rabo-de-cavalo da Ariana Grande. Não dá para negar que CupcakKe é uma artista extremamente carismática.

No momento, não há evidências se este single fará parte de alguma mixtape ou EP. De qualquer forma, podemos notar que poucos rappers podem usar um vocabulário assim com tanto vigor e carisma. E por mais que ela esteja despertando atenção do público há mais de um ano, ainda é uma rapper subestimada. Isso porque trata-se de uma das mais talentosas da cena atual. Em “Blackjack”, por exemplo, há muitas linhas para mencionar. “Estômago como um salão de beleza / Porque eu engulo todos os pêlos pubianos”, ela recita nas primeiras linhas. “O pau como o rabo-de-cavalo da Ariana / Porque eu juro que essa merda foi a mais longa que já vi”, ela diz, antes de brincar sarcasticamente: “Eu sou bom para os olhos, até para o Fetty Wap”. Além disso, no refrão ela exige que seu parceiro tenha idade suficiente para lidar com sua experiência. Detalhe que ela mesma tem apenas 21 anos de idade. “Blackjack” é uma música liricamente suja, desinibida, repleta de insinuações sexuais e trocadilhos imprudentes. A espontaneidade e a descontração fazem parte do seu charme. “Deixe-o se masturbar com batatas fritas / Jogue minhas pernas para cima como uma moeda de dez centavos / Ele goza rápido como o Amazon Prime”, ela cospe, enquanto alterna seu fluxo diversas vezes e solta alguns gemidos ao fundo. A produção de Bizness Boi & Ye Ali contém batidas de trap minimalistas, sintetizadores e teclado. Ao todo, “Blackjack” é feroz e com certeza não foi criada para os puritanos e conservadores.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.