Review: Carly Rae Jepsen – Party for One

Lançamento: 01/11/2018
Gênero: Pop, Synth-pop
Produtores: Captain Cuts e Hightower
Compositores: Carly Rae Jepsen, Tavish Crowe, Julia Karlsson e Anton Rundberg.

Depois de meses de rumores e especulações, Carly Rae Jepsen finalmente lançou o seu novo single, “Party for One”. É o seu primeiro lançamento desde “Cut to the Feeling”, e também o primeiro vislumbre de seu futuro novo álbum. Desde o “E•MO•TION” (2015), Jepsen tem sido uma fonte de canções de qualidade, que merecem muito mais atenção. Depois que conseguiu um smash-hit mundial com “Call Me Maybe”, ela lançou outras canções maravilhosas que mereciam maior reconhecimento, tais como “Run Away with Me” e “All That”. “Party for One”, por sua vez, está sendo considerada pela imprensa e pela própria cantora como uma declaração de “amor próprio”. Porém, é descarada e um pouco mais explícita do que o esperado. “Eu serei o cara / Se você não se importa comigo”, ela canta. “Fazendo amor comigo mesmo / De volta ao meu ritmo”. À medida que a música continua, o desgosto se transforma em pura alegria e a produção cresce cada vez melhor. “Party for One” é um single cativante onde ela comemora o poder do desgosto, embora a experiência possa parecer dolorosa. É muito comum que, quando passamos por um término de namoro, nos esquecemos de nos amar. Mas através dessa música, Jepsen quer que as pessoas se lembrem de abraçar isso. “Se você não soubesse que você era certo para mim / Então não há nada que eu possa dizer”, ela canta nas primeiras linhas. As letras são empoderadoras e inspiradoras – e, embora sejam simples em algumas partes, também são bastante complexas em outras. É uma ótima re-introdução a quem Carly Rae Jepsen é como artista e manterá a ansiedade para o seu quarto álbum de estúdio. Aqui, ela questiona as decisões que a fizeram se apaixonar por um homem. Sua próxima fase na vida seria a autodescoberta e o amor-próprio.

Ela se abre para novas possibilidades e celebra a si mesma, apesar de todo o desgosto envolvido. O primeiro verso da música a encontra em uma situação da qual todos nós podemos nos relacionar. No topo do primeiro refrão, a instrumentação praticamente desaparece. Durante o primeiro verso, houve uma crescente constante, mas quando chegamos ao que é indiscutivelmente o mais forte momento lírico da música, a instrumentação é significativamente mais leve. Mais tarde, no segundo refrão, a bateria e o baixo são reintroduzidos. A base da ponte é aquele momento em que você finalmente acredita no que está dizendo a si mesmo: que você é forte e independente. Ela repete a frase “de volta ao meu ritmo” constantemente, enquanto canta em camadas, “se você não se importa comigo” e “festa para um”. Quando chegamos ao refrão final, a bateria se torna mais sincopada e acentua cada palavra que ela está cantando. O amor não correspondido é um dos piores sentimentos do mundo – sendo também um dos mais comuns – mas “Party for One” mostra que existe outro caminho para a felicidade. E mais importante do que ser amado por outra pessoa, é se amar o suficiente para continuar seguindo em frente. Musicalmente, a canção possui uma atmosfera familiar. Há uma luz que nunca se acaba que se chama synth-pop dos anos 80, uma saída usada por Carly Rae Jepsen para provocar nostalgia e muitas outras emoções. Isso tem provado ser uma fórmula altamente eficaz, então ela deve continuar utilizando-a. O refrão explode sobre os sintetizadores oitentistas, enquanto alguns “aaah-aaah-aaah” aparecem no momento certo. Embora “Party for One” tenha algumas semelhanças com o “E•MO•TION” (2015) – a progressão extravagante e produção subjacente tem seus momentos distintos. E apesar de não ser tão instantâneo, este single sinaliza um crescimento natural. Não é uma canção imediatamente gratificante, mas funciona quando precisa.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.