Review: Car Seat Headrest – Twin Fantasy (Face to Face) (2018)

Lançamento: 16/02/2018
Gênero: Indie Rock
Gravadora: Matador Records
Produtor: Will Toledo.

O“Twin Fantasy (Face to Face)” é o décimo primeiro disco da banda Car Seat Headrest. Trata-se de uma regravação completa do sexto álbum de estúdio da banda, “Twin Fantasy” (2011). Antes de se consolidar como um das figuras mais interessantes do indie-rock, o vocalista Will Toledo passou anos gravando músicas em seu computador pessoal sob o apelido Car Seat Headrest. Em seu novo projeto, ele decidiu voltar às suas raízes lo-fi e refazer o seu primeiro grande lançamento, dando-lhe o valor de produção que merece. “Twin Fantasy (Face a Face)” é ligeiramente conceitual e focado num relacionamento obsessivo do cantor com alguém desconhecido. Vulneráveis e honestas, as letras lidam com experiências reais do vocalista. Os temas são um pouco pesados, mas compensam isso usando o mesmo humor desequilibrado que fez Will Toledo se tornar tão grande. Agora assinado pela Matador Records e apoiado por uma banda, ele aproveitou o máximo do orçamento e tempo no estúdio. As harmonias vocais e guitarra são onipresentes neste álbum, enquanto os padrões de bateria são surpreendentemente originais. Enquanto o último disco da banda foi uma coleção dedicada à natureza adolescente, “Twin Fantasy (Face a Face)” é sobre ser um jovem apaixonado.

Esta versão atualizada do “Twin Fantasy” (2011) é mais brilhante e experimental, mesmo mantendo o charme do orignal. Car Seat Headrest manteve a natureza pessoal e íntima captada por riffs de guitarra, sintetizadores, vocais duplicados, percussão vibrante e palavras faladas. Enquanto a primeira versão possui uma sensação distorcida e desorientada, a versão remasterizada é bem mais polida. “Twin Fantasy” (2011) foi lançado sob um carisma quase imaturo e destacou-se de outros lançamentos de indie-rock da época. Mas é a versão remasterizada que mostra o crescimento musical da banda. Em “Twin Fantasy (Face a Face)” também há uma grande carga de vulnerabilidade, algo que esteve ausente no “Teens of Denial” (2016). Mas são as músicas mais longas, no entanto, que fazem o repertório ser realmente bom. O álbum abre com a crescente “My Boy (Twin Fantasy)”, um hino simples e igualmente poderoso que transmite o tom do que está por vir. Aqui, Will Toledo canta suavemente, antes de intensificar as coisas com distorcidos riffs de guitarra. Há um ruído distante que parece estático, enquanto sua voz aparece em primeiro plano. Em seguida, a banda mergulha numa viagem conduzida por 13 minutos de duração.

A maravilhosa “Beach Life-in-Death” é apresentada meticulosamente em detalhes e aborda a depressão e angústia adolescente. Lançada como single em dezembro de 2017, esta faixa é cheia de contraste e faz uma mistura de letras melancólicas com vocais profundos. Uma vez que possui tanto tempo de duração, “Beach Life-in-Death” provoca várias mudanças de tom e ritmo, e cria uma experiência auditiva incrível. Conforme Toledo questiona seu lugar na sociedade e no seu relacionamento, ele fornece letras como: “Eu estou quase completamente sem alma / Eu sou incapaz de ser humano / Eu sou incapaz de ser desumano / Eu estou vivendo incontrolavelmente / Como um amigo meu sugeriu / Porque não é a tristeza que te machuca / É a reação do cérebro contra ela”. Assim como grande parte do repertório, “Beach Life-in-Death” conta a história de um namoro imperfeito. “Sober to Death” e “High to Death” são faixas que se complementam. A primeira narra a submissão do relacionamento e suas tendências mais sombrias, enquanto a última vê Will Toledo desejando estar sóbrio em vez de persistir com seu relacionamento fracassado. A quinta faixa, “Nervous Young Inhumans”, é uma peça tingida de glam-rock que mantém os frágeis vocais e a natureza peculiar da versão original.

Com sua guitarra e bateria de ritmo acelerado, “Bodys” parece uma reminiscência da banda Phoenix. A voz de Will Toledo combina tons altos e baixos, enquanto o baterista Andrew Katz é creditado como 1traitdanger. Depois do épico “Famous Prophets (Stars)”, com uma duração que ultrapassa a marca de 16 minutos, “Twin Fantasy (Those Boys)” encerra o repertório. Will Toledo criou um álbum baseado numa versão fantasiosa de um relacionamento, e isso é lindamente resumido na última faixa. “Eu não olho pro sol há tanto tempo / Tinha me esquecido do quanto doía”, letras como essas resumem tudo o que o ouvinte precisa saber. Nesta canção, Toledo apresenta uma percepção libertadora, conforme a bateria e o órgão ofegante enfeitam suas palavras. Aqui, ele rompe com o amor, mágoa e confusão que atormentou o álbum e finaliza com um monólogo falado. Recriar um material anterior em vez de escrever músicas novas, foi uma decisão muito peculiar. Embora tenha sido algo arriscado, eles conseguiram fazer um álbum quase perfeito. O Car Seat Headrest é uma banda incrivelmente talentosa que gira em torno da honestidade das letras de Will Toledo. Pode parecer um retrocesso regravar um álbum de sete anos atrás, mas “Twin Fantasy (Face to Face)” é tão dinâmico quanto a versão original.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.