Review: BTS – Map of the Soul: Persona EP (2019)

Lançamento: 12/04/2019
Gênero: K-pop, R&B, Hip hop, Rock
Gravadora: Big Hit Entertainment / iriver Limited
Produtores: Hiss Noise, Pdogg, Arcades, Fred Gibson, Bad Milk e Marcus McCoan

Os arranjos do “Map of the Soul: Persona” são exigentes e complicados, e muitos destaques líricos são apresentados de forma auto-referencial. Não é um registro ruim, mas é difícil descrevê-lo como perfeito.

OBTS, talvez a maior boyband do mundo no momento, mostrou que não tem medo de criar músicas que se afastem dos padrões costumeiramente ligados à música pop. O septeto coreano lançou seu sexto EP, “Map of the Soul: Persona”, na última sexta-feira. É uma exploração expressiva e sincera da mente de todos os membros. O nome BTS tem dois significados: Beyond the Scene e Bangtan Boys, um acrônimo de uma declaração coreana que é vagamente interpretada como “escoteiros a prova de balas”. A história da banda que rompeu barreiras linguísticas começou com a descoberta do vocalista Kim Nan-joon, mais conhecido como RM, e suas habilidades de rap. Inicialmente, o BTS focaria apenas no hip-hop, mas seu lançamento foi adiado para formar um grupo mais convencional. Em 2012, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V, Jungkook e RM moldaram o BTS que o mundo se apaixonou. “Map of the Soul: Persona” mantém a natureza profunda que ajudou o grupo a alcançar o sucesso, mas não é tão triunfante quanto o “LOVE YOURSELF 轉 ‘Tear'” (2018). “Dionysus”, apesar da forte batida, não é convincente e carece de profundidade lírica. “Intro: Persona” é um número de hip-hop e trap com letras intricadas, mas é inegavelmente uma decepção sonora. Quando duas músicas em um EP de sete faixas não são bem executadas, isso se torna um problema. No entanto, o restante do álbum fornece o calor necessário e mostra o verdadeiro entusiasmo por trás do BTS.

“Make It Right”, co-escrita por Ed Sheeran, é guiada por sintetizadores cativantes e fala sobre como relacionamentos positivos podem melhorar o mundo. Assim como boa parte de suas músicas, os vocais de “Make It Right” são igualmente divididos entre cada membro. Embora o verso em falsete de Jungkook seja o melhor vocalmente, o verso do Suga contém as letras mais encantadoras: “A razão de eu ter sobrevivido no inferno é você / Não foi para mim / Se você sabe, por favor não hesite e salve minha vida / Estou com sede vagando neste deserto por você, então corra e me agarre rapidamente / Eu sei que o mar sem você é o mesmo que um deserto”. Essa canção é instrumentalmente repetitiva, mas funciona inexplicavelmente bem; graças às marcantes performances vocais. As harmonias e batidas contagiantes de “Boy with Luv” inevitavelmente ficarão presas em sua cabeça. Novamente, o verso do Suga inclui as letras mais adoráveis: “Você é estrela que transforma / Coisas normais em extraordinárias”. As encantadoras harmonias da Halsey são muito adequadas e o adorno perfeito para “Boy with Luv”. A natureza emocional de “Mikrokosmos” é evidente desde o primeiro toque da instrumentação. O título é uma referência ao microcosmo da filosofia grega, que vê cada ser humano como seu próprio universo. RM destaca isso especificamente: “O passado de cada um / A estrela de cada pessoa / Sete bilhões de luzes / Iluminando sete bilhões de mundos”.

A faixa usa tal conceito para explicar o brilho em meio aos tempos sombrios, conforme Jungkook canta: “A estrela reluzente que brilha mais forte na noite mais escura / Quanto mais escura a noite, mais forte o brilho da estrela”. É uma faixa bem executada, amplificada por noções instigantes, e uma das melhores do EP. O BTS sempre se orgulhou de sua profunda conexão com os ARMYs e, muito parecido com “Magic Shop”, “HOME” foi escrita com sua fã base em mente. Essa canção de R&B e hip-hop é outra dedicação carinhosa que os garotos prepararam para os amados fãs. Apesar da percepção que os opositores podem ter sobre eles, os membros descrevem seus fãs como sua casa, onde eles podem buscar conforto, amor e apoio sempre que estiverem cansados ​​ou solitários. Com uma ótima produção e refrão cativante, você estará cantando “mi casa” instantaneamente. A balada pungente do álbum: Jin, Jungkook e J-Hope assumem “Jamais Vu” com maestria. Jin e Jungkook fornecem belos vocais, enquanto J-Hope apresenta suas habilidades de rap. Mais uma vez, o grupo rompe as barreiras internacionais com esse título, uma frase francesa que significa “nunca visto”. As letras sinceras detalham a esperança de salvar um relacionamento que perdeu os sentimentos. Se “LOVE YOURSELF 轉 ‘Tear'” (2018) foi o álbum que anunciou o BTS em escala internacional, o “Map of the Soul: Persona” é aquele EP que prova que eles são uma força artística a ser considerada fora do seu fandom dedicado. Além dos movimentos de dança sincronizados, o BTS é um dos grupos mais versáteis do momento.

  • 61%
    SCORE - 61%
61%

Favorite Tracks:

“Boy with Luv (feat. Halsey)”.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.