Review: BTS – FAKE LOVE

Lançamento: 18/05/2018
Gênero: K-Pop, Rap-Rock, Trap
Produtores: hitman bang, Pdogg e RM
Compositores: hitman bang, Pdogg e RM.

Depois que artistas internacionais se tornaram comuns nas músicas da BTS, foi um certo alívio ver que “FAKE LOVE” foi produzido por hitman bang, Pdogg e RM. Esses produtores foram os responsáveis por ajudar a criar um k-pop cheio de influências ocidentais para a BTS. Em vez de continuar flertando com o EDM, “FAKE LOVE” agarra o hip-hop assim como no começo de sua carreira. O vídeo da música acumulou mais de 35,9 milhões de visualizações no YouTube em 24 horas, quebrando seu recorde anterior e tornando-se um dos mais assistidos em um dia. Também conseguiu mais de 3,9 milhões de curtidas no mesmo período de 24 horas, e ganhou o posto de clipe mais apreciado em um único dia, superando os antecessores “DNA” e “MIC Drop”. É impressionante a força que os fãs da BTS possuem! Do começo ao fim, “FAKE LOVE” soa como um verdadeiro sucesso radiofônico. Possui um refrão bastante cativante, vocais exuberantes e uma grande carga de energia. Ela reflete as tendências da música pop sem soar exatamente como qualquer outra coisa escutada no momento.

O pop-rap, refrão envolvente e o conceito lírico radio-friendly, mesmo para aqueles que não entendem a parte coreana, conseguem capturar a essência do grupo. Inesperadamente, “FAKE LOVE” abre com o refrão, por isso mostra uma estrutura um pouco fora do comum. Mas isso funcionou a seu favor, uma vez que o pré-refrão atinge o ouvinte desprevenido. Sua entrega ofuscante e a melodia fornecem uma textura bem agradável que soa como um retorno à forma. Quando a guitarra aparece, se transforma em uma das armas mais fortes da música. Ela adiciona uma força necessária às influências de trap do instrumental. Felizmente, o arranjo faz um bom trabalho e estabelece seu próprio clímax, assim como reforça as camadas dos vocais e instrumentação. Uma das melhores coisas da música é também a forma como o BTS incorpora elementos de pop e rock-alternativo sobre as batidas de trap. Embora na superfície essa mistura pareça estranha, funcionou bem em conjunto. Há também um sintetizador durante a maior parte da canção, embora a guitarra seja o instrumento mais cativante.

Também não podemos ignorar as letras durante as linhas de rap. O grupo realmente passou a projetar sua vulnerabilidade por meio do rap. RM disse em uma entrevista que o “falso amor” das letras pode significar um amor entre duas pessoas, assim como também pode se referir ao amor-próprio. O tom angustiado dos vocais, por sua vez, fornece a mágoa necessária para as letras. Os versos impulsionados pelas linhas de rap se manteve fiéis ao que separa a BTS dos outros grupos de k-pop. Embora existam indícios de influência ocidental aqui, “FAKE LOVE” afasta-se dessa direção e permanece fiel ao passado da BTS. Eles sempre foram orientados para tons de EDM e faixas baseadas em potentes sintetizadores. Mas, desta vez, temos uma guitarra elétrica angustiada como ponto central. V, Jin, Jimin e Jungkook têm uma divisão vocal bastante equilibrada, enquanto Suga e J-Hope possuem papéis proeminentes. Isso acabou deixando o RM curiosamente subutilizado, já que ele apenas adiciona algumas linhas no começo e final da música. Resumidamente, “FAKE LOVE” apresenta um pacote completo de tudo o que o EP “LOVE YOURSELF 承 ‘Her'” (2018) representa.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.